Porto Alegre

18ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 21 de Outubro de 2017

  • 19/07/2017
  • 16:41
  • Atualização: 16:42

Morre o compositor e produtor Sergio Roberto de Oliveira

Artista tinha 46 anos e lutava contra um câncer no pâncreas

Morre o compositor e produtor Sergio Roberto de Oliveira | Foto: Divulgação / CP

Morre o compositor e produtor Sergio Roberto de Oliveira | Foto: Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

Um dos mais atuantes nomes da música contemporânea brasileira, Sergio Roberto de Oliveira morreu na madrugada desta quarta-feira. O compositor e produtor carioca tinha 46 anos e lutava contra um câncer no pâncreas desde fevereiro do ano passado. Conforme comunicado de sua assessoria de imprensa, o corpo do artista será cremado nesta quinta-feira, às 13h, no Memorial do Carmo, no Rio de Janeiro.

Sergio era diretor da gravadora A CASA, especializada em música erudita contemporânea, e se manteve produzindo e compondo até os últimos momentos. Sua última obra escrita foi a ópera "Na Boca do Cão", que está em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil até 30 de julho.

Em sua trajetória, ele foi indicado ao Grammy Latino duas vezes: em 2011 na categoria “Melhor Composição Clássica Contemporânea” e em 2012 pelo CD “Prelúdio 21 – Quartetos de Cordas”. Desde sua primeira indicação ao prêmio, Sergio Roberto de Oliveira se dedicou intensamente à difusão de sua obra e da música de concerto carioca. Produziu e lançou inúmeros títulos neste segmento, como os CDs do Quinteto Lorenzo Fernandez, Trio Capitu, os dois do Duo Santoro, Cristiano Alves, Ayran Nicodemo, Ricardo Tacuchian, The Biedermeiers, Duo Bretas-Kevorkian, GNU, Orquestra Sinfônica Nacional, escrevendo obras para a maioria destes.

No campo da música para cinema, lançou em 2014 o curta “Ao Mar”, e compôs a trilha para os filmes “Alla Prima” e “A Dívida”, sendo indicado com o último no Festival Internacional de Cinema de Madri na categoria “Melhor Música para filme” e no International Filmmaker Festival of World Cinema de Milão na categoria “Melhor Trilha Sonora”. Seu grupo de compositores, Prelúdio 21, é um dos mais ativos do mundo e tem tido destaque no cenário da música contemporânea brasileira, atuando há 17 temporadas ininterruptas.

O artista ainda era membro do grupo de compositores Vox Novus, baseado em Nova Iorque, e da Academia Latina de Artes e Ciência da Gravação. Publicada nos EUA, Inglaterra e Alemanha, sua música já foi executada em 8 países, e ele foi diversas vezes convidado para palestras sobre sua obra no Brasil e no exterior.