Porto Alegre

21ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 25 de Setembro de 2017

  • 08/07/2017
  • 09:33
  • Atualização: 09:37

Mallu Magalhães lança novo álbum e toca em agosto em Porto Alegre

Trabalho foi gravado entre São Paulo, Rio e Lisboa e traz 12 faixas inéditas

Cantora e compositora se divide entre Brasil e Portugal | Foto: Gonçalo F. Santos /Divulgação / CP

Cantora e compositora se divide entre Brasil e Portugal | Foto: Gonçalo F. Santos /Divulgação / CP

  • Comentários
  • Marcos Santuario

Para ela, vivências são fundamentais. Foi assim que avançou em seu processo pessoal e criativo. Mallu Magalhães, aquela garota paulista que chegou de mansinho e logo conquistou espaço na arte brasileira, está mostrando seu novo trabalho. Tem ares portugueses e brasileiros. Dois universos que ela transita pessoal e poeticamente. Mas está muito reconhecível, com laços naquilo que sempre foi, artística e poeticamente falando. São dez anos de carreira e hoje é distinguida como uma grande compositora brasileira de sua geração. Por isso guarda cicatrizes e mantém suas diretrizes.

O novo álbum de estúdio de Mallu, quarto da carreira, é “Vem”. Produzido pelo talentoso “maridão” Marcelo Camelo, o trabalho foi gravado entre São Paulo, Rio e Lisboa e traz 12 faixas inéditas, incluindo “Casa Pronta” e “Você Não Presta”, cujo videoclipe (dirigido pelo português Bruno Ferreira) já causou polêmica com o tal “racismo reverso” e está na casa dos três milhões de visualizações no Youtube. Com arranjos de Mario Adnet e Marcelo Camelo, o álbum tem a sonoridade produzida por músicos renomados, como Dadi Carvalho, Kassin e Rodrigo Amarante. Tem ainda a participações de José Manuel Neto, Carlos Manuel Proença e Daniel Pinto, três grandes músicos portugueses.

Um trabalho que é sentido por Mallu como uma aproximação ainda maior às pessoas. Muito mais denso do que um “mundinho pessoal”. E é aí que surge a empatia. “As vivências são fundamentais, é o mais importante”, comenta, ressaltando que gosta de se por em situação de maior risco, desafiadoras. “Pra que eu possa crescer como pessoa e tirar experiências materiais pro meu trabalho.” Na sequência faz questão de explicar: “Dificilmente uma experiência é grave o suficiente para mim...”.

Faixa a faixa, o disco “Vem” vai descortinando a vida e as elucubrações poético sonoras e vivenciais da moça, que amplia seus horizontes a cada palavra. A cada nota. Mas, ainda na linha do que já tem mostrado em trabalhos anteriores, o amor nas canções domina o álbum, como revelam “Navegador”, “Será que um Dia”, “Vai e Vem” e “Pelo Telefone”. Aqui vale um destaque para “Casa Pronta”, primeira música apresentada ao público, então em arranjo de voz e violão. Feita para esperar a chegada da filha, Luísa, sua e de Marcelo Camelo, que nasceu em dezembro de 2015, revela um pouco deste espírito que amadurece. “Minhas inspirações têm vindo da minha criação e da minha personalidade, tanto que nem sei bem distinguir o que é meu e o que é da minha família”, resume Mallu. Mas ela também amplia: “Vem também do meu relacionamento e da maternidade, que dá uma força e uma motivação diferentes”.

Na conversa pessoal, Mallu, que completa 25 anos em agosto, vai da garota que vive descobrindo coisas até a mãe extasiada com a família em formação. E que vive ainda no universo da internet e das redes sociais: “É curioso ver como a internet se renova. Quando Luísa nasceu fiquei poucos meses mais fora de tudo pra conseguir me dedicar somente a ela. Quando voltei para a internet vi como as coisas tinham mudado”, diz. “Interessante pensar no papel do artista e da figura pública. Como a gente pode ou não se incluir e abraçar estes novos modelos de comunicação. Cada serviço, cada rede social e cada ferramenta tem suas vantagens e suas armadilhas e acho que é prato cheio pra pessoas pensantes como eu”, completa. E enquanto reflete e vive intensamente este processo, Mallu mostra em “Vem” sua trajetória mergulhada na MPB e em suas infinitas possibilidades.


TAGS » Música, Variedades