Porto Alegre

21ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 18 de Fevereiro de 2018

  • 10/02/2018
  • 13:52

Campanha #MeToo chega à Semana de Moda de Nova York com desfile-denúncia

Modelos contaram suas histórias após o evento

  • Comentários
  • AFP

Oito modelos, todas vítimas de assédio ou abuso sexual, aproveitaram a Semana de Moda de Nova York para se somar à campanha #MeToo nos Estados Unidos. Tudo aconteceu longe dos holofotes das passarelas mais cobiçadas da cidade, em um desfile realizado num espaço que praticamente se oferece grátis em um hotel acessível próximo à Times Square, e em que nenhuma das modelos era famosa.

Tratou-se mais de um evento abertamente político organizado pela advogada e empresária Myriam Chalek, que se tornou conhecida organizando apresentações com pessoas marginalizadas. Se marcas como Tom Ford também apoiaram nesta semana o empoderamento feminino, Myriam afirmou que este foi o objetivo primordial de seu espetáculo.

"Sinto que cada mulher tem algum tipo de responsabilidade de fazer algo e contribuir para a mudança", disse à AFP. "Se você está dizendo que é hora de mudança, ou que o tempo acabou, então faça algo a respeito." As roupas não foram as estrelas do espetáculo, embora a advogada, 30, tenha afirmado que a combinação de pele e couro de um lado, e tule e seda de outro, mostrava tanto força quanto feminilidade. "A diferença neste espetáculo de moda é que um dos critérios para escolher as modelos é que elas tivessem sido vítimas de condutas sexuais impróprias", explicou.

Máscara de porco

Depois de desfilarem para cerca de 200 convidados, as oito modelos tomaram o microfone junto a um homem vestido de preto e usando uma máscara de porco. Em poucos minutos, contaram suas histórias, a maioria ocorrida anos antes, de como um amigo da família, um namorado ou outro homem as assediou, agrediu ou estuprou.

"Estar aqui e falar sobre isto é muito importante... realmente lamento dizer 'eu também', mas estou muito feliz por, finalmente, fazermos algo a respeito", acrescentou, provocando aplausos. Após os relatos trágicos das modelos, Myriam considerou ter alcançado seu objetivo. Antes do desfile, havia afirmado: "Se conseguirmos sair do silêncio (...) não será apenas uma mulher, já será uma vitória".