Porto Alegre

18ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 19 de Setembro de 2017

  • 13/09/2017
  • 14:45
  • Atualização: 15:28

João Bosco será homenageado com prêmio pela carreira no Grammy Latino

Cantor é o único brasileiro no grupo de setes artistas nomeados pela Academia Latina da Gravação

Artista de 71 anos vai lançar em breve o disco “Mano que zuera” | Foto: Flora Pimentel / Divulgação / CP

Artista de 71 anos vai lançar em breve o disco “Mano que zuera” | Foto: Flora Pimentel / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

O cantor e compositor João Bosco será o único brasileiro homenageado com o Prêmio à Excelência Musical na 18º edição do Grammy Latino e receberá seu troféu em cerimônia em Las Vegas, em 15 de novembro. O artista de 71 anos será prestigiado ao lado da porto-riquenha Lucecita Benítez, do venezuelano Ilan Chester, do argentino Victor Heredia, da dupla espanhola Los Del Río (Antonio Romero Monge e Rafael Ruiz Perdigones), da mexicana Guadalupe Pineda e do dominicano Cuco Valoy.

"Estamos orgulhosos em homenagear um grupo tão diversificado de artistas internacionalmente aclamados com os Prêmios à Excelência Musical e da Junta Diretiva deste ano", disse Gabriel Abaroa Jr., presidente da Academia Latina da Gravação em uma nota oficial divulgada à imprensa. "Nossa categoria de 2017 representa uma grande variedade de artistas que, juntos, contribuíram para moldar os ritmos icônicos e a poesia da música latina ao longo da história. Cada ganhador é uma inspiração para nossa cultura, além de inspiração para a música moderna e contemporânea", finalizou.

As mais de quatro décadas de trajetória profissional de João Bosco são anos de diálogo de sua obra com mestres da tradição e, principalmente, da sua geração dos anos 1970. O anúncio da nomeação do artista precede o lançamento do 27º álbum de sua carreira, que vai se chamar “Mano que zuera” e chega oito anos depois de seu último projeto de inéditas, “Não vou pro céu, mas já vivo no chão”. Tendo consagrado um estilo inconfundível como compositor e intérprete de suas canções, dono de uma divisão rítmica vigorosa, Bosco mistura influências de sua herança moura com a bossa nova, o samba, o jazz e os ritmos africanos.

"É muito bom saber que a maneira como atravessamos todos esses anos — e muitas vezes o fizemos no escuro — é iluminada por um raio de luz que nos revela e nos enche de orgulho e gratidão", declarou Bosco sobre a premiação em um comunicado. “Há um grande número de gêneros musicais nesse universo hispano-americano, ou na América Latina ou ainda na música de sonoridade de língua espanhola. Eu me lembro que desde criança fui criado em meio a esse sonido e penso que o Grammy Latino tem essa função de perpetuar esse traço de união, reforçá-lo de tal forma que sempre que nos encontrarmos nos sentiremos Hermanos. Obrigado por essa distinção e honra”, concluiu.