Porto Alegre

11ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 23 de Outubro de 2017

  • 15/09/2017
  • 10:15
  • Atualização: 10:28

Sem "Game of Thrones", disputa pelo Emmy está em aberto

Série da HBO bateu o recorde com 12 prêmios no ano passado, mas não está entre as indicadas neste ano

Série da HBO bateu o recorde com 12 prêmios no ano passado, mas não está entre as indicadas neste ano | Foto: Netflix / Divulgação / CP

Série da HBO bateu o recorde com 12 prêmios no ano passado, mas não está entre as indicadas neste ano | Foto: Netflix / Divulgação / CP

  • Comentários
  • AFP

Sem "Game of Thrones" e com várias produções aclamadas na disputa, o vencedor na categoria série dramática do Emmy, que acontece no próximo domingo, é muito difícil de prever. A série da HBO bateu o recorde com 12 prêmios no ano passado, mas não está entre as indicadas na 69ª edição do Emmy porque a sétima temporada começou após o prazo de consideração.

A situação deixa o campo aberto para muita séries estreantes elogiadas pela crítica, como "Westworld", ficção científica também da HBO, a distópica "The Handmaid's Tale", da plataforma de streaming Hulu, e a série de terror com estética dos anos 80 "Stranger Things", da Netflix. "Acredito que os prêmios serão divididos entre todas, acredito que todo sairão felizes", disse a editora executiva para TV da revista Variety, Debra Birnbaum.

Alec "Trump" Baldwin

A cerimônia acontecerá no teatro Microsoft de Los Ángeles e terá como apresentador o comediante Stephen Colbert, o que garante piadas de tom político na primeira festa do Emmy desde a posse do presidente Donald Trump. O longevo programa de humor da NBC "Saturday Night Live" (SNL) recebeu 22 indicações - mesmo número de "Westworld -, após uma temporada marcada pela paródia de Trump feita pelo ator Alec Baldwin.

A premiação é dividida em dois fins de semana. As categorias técnicas/criativas já foram anunciadas: SNL venceu em cinco categorias, incluindo a de ator e atriz convidados para uma série de comédia para Dave Chapelle e Melissa McCarthy. McCarthy foi aclamada por sua paródia do nervoso ex-secretário de imprensa da Casa Branca, Sean Spicer, que renunciou em julho.

Spicer brincou esta semana ao afirmar que a imitação "custou muito dinheiro na terapia". O programa pode conquistar outras cinco estatuetas no domingo. Kate McKinnon, responsável pela imitação de Hillary Clinton, tentará repetir a vitória na categoria atriz coadjuvante em série de comédia. Baldwin, Leslie Jones e Vanessa Bayer também foram indicados.

Moss e Louis-Dreyfus

"Feud: Bette and Joan", a série do FX sobre a rivalidade entre Joan Crawford e Bette Davis, recebeu 10 indicações.

A HBO é o canal com o maior número de indicações, 111, incluindo várias para a série de comédia política "Veep". Julia Louis-Dreyfus pode ganhar o sexto Emmy de melhor atriz pela série. Netflix recebeu 91 indicações e o canal de TV aberta NBC 64.

Na categoria série dramática - vencida por "Game of Thrones em 2015 e 2016 - estão na disputa cinco estreantes: "Westworld", "The Handmaid's Tale", "This Is Us" (NBC), "Stranger Things" e "The Crown" (Netflix). A série sobre a rainha Elizabeth II venceu dois Globos de Ouro, mas "Stranger Things", que recebeu cinco Emmys no último fim de semana, passou a ser considerada a favorita por alguns.

As outras duas finalistas são "Better Call Saul" (AMC) e "House of Cards" (Netflix). Para Birnbaum talvez existam duas apostas seguras para domingo: Elisabeth Moss como melhor atriz por série dramática por "The Handmaid's Tale" e Louis-Dreyfus por "Veep".