Porto Alegre, sábado, 22 de Novembro de 2014

  • 05/07/2014
  • 19:49
  • Atualização: 20:20

Holanda vence Costa Rica nos pênaltis e vai à semifinal

Goleiro Krul, que entrou somente para a cobrança das penalidades, fez duas defesas

Goleiro Krul pegou duas cobranças | Foto: Fabrice Coffrini / AFP / C

Goleiro Krul pegou duas cobranças | Foto: Fabrice Coffrini / AFP / C

  • Comentários
  • Rodrigo Celente / Correio do Povo

Foi sofrido. Foi duro. Foi dramático, mas a Holanda está na semifinal da Copa do Mundo. Na Arena Fonte Nova, o time de Louis Van Gaal venceu a Costa Rica nos pênaltis por 4 a 3. Agora, a Holanda enfrenta a Argentina, na próxima quarta, 17h, em São Paulo, por uma vaga na grande final da Copa.

Não houve surpresa entre Holanda e Costa Rica, disputados na noite deste sábado, na Arena Fonte Nova, em Salvador. A tônica do jogo válido pelas quartas de final da Copa foi: Holanda em cima e Costa Rica atrás. Do meio pra frente, Blind, Robben, Depay e Van Persie, tentavam, em deslocamentos pelos flancos e entradas rápidas pelo meio, surpreender o ferrolho da Costa Rica. Porém, havia Navas no caminho. O goleiro da Costa Rica foi a figura da partida. Com pelo menos três grandes defesas, o arqueiro da seleção da América Central, impediu que Van Persie, Robben, Sneijder e companhia saíseem para o intervalo em vantagem. Num dos lances, Sneijder cobrou falta e mandou no ângulo. Navas espalmou. Em outra jogada, Van Persie puxou contra-ataque e tocou para Depay, que invadiu a área e bateu cruzado. Navas defendeu. A Costa Rica "chegou" ao ataque em dois lances de bola parada. Num deles, Bolaños levantou pra área. A defesa da Holanda afastou errado e o atacante da Costa Rica, numa "quase" puxeta, mandou pro gol. A bola cruzou a área, assustando a torcida holandesa. E foi só o que os "ticos" fizeram.

Na segunda etapa, faltou ímpeto para a Holanda até os 20 minutos. O time foi cauteloso, parecia se poupar. Para a Costa Rica, faltou coragem de atacar, de surpreender. A Holanda seguiu trocando passes e apostando em Robben e Van Persie para definirem, mas erravam na hora H. Os "ticos" seguiam apostando em bolas paradas. Numa delas, González, cabeceou livre, mas por cima do gol. E foi só o que a Costa Rica fez no segundo tempo. A partir dos 30 minutos, a Holanda acelerou. O intuito era definir o jogo, porém, esqueceram de combinar com o goleiro da Costa Rica, Navas. Num chute de Van Persie, aos 38 do segundo tempo, dentro da área, ele fez uma baita defesa. E teve sorte também. Numa falta de Sneijder, a bola explodiu no poste. No finalzinho, num lance de bate-rebate, a bola sobrou para Van Persie, que bate forte. O zagueiro da Costa Rica afasta errado, a bola sobe e bate na trave.

Os primeiros 15 minutos da prorrogação seguiram o mesmo ritmo: Holanda em cima e Costa Rica atrás, apostando na consistência do seu sistema defensivo. Robben foi o mais perigoso, com a sua tradicional jogadinha pela esquerda.

Nos últimos 15 minutos, o mesmo jogo: pressão holandesa e retranca da Costa Rica. Porém, no finalzinho a Costa Rica, em dois contragolpes, assustou a torcida holandesa. Num dos lances, Cillesen salvou. Sneijder, aos 13, mandou outra bomba na trave. Mas não houve jeito, a vaga seria decidida nos pênaltis. E aí, deu Holanda.







Bookmark and Share