Porto Alegre, sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

  • 20/08/2014
  • 21:16
  • Atualização: 21:31

Sport vira e afunda o Palmeiras no Brasileirão

Gol contra do goleiro Fábio iniciou derrocada por 2 a 1 do Verdão, agora na lanterna do Brasileiro

  • Comentários
  • Lancepress

O pesadelo do Palmeiras continua e a ameaça do rebaixamento está cada vez mais presente. Um gol contra do goleiro Fábio piorou ainda mais a situação e permitiu a virada do Sport, nesta quarta-feira, na Arena Pernambuco. Os donos da casa, desta forma, anotaram 2 a 1 no placar e seguem fortes no Brasileirão. Com o resultado, o clube paulista está na lanterna, com apenas 14 pontos. Já o Sport pulou para sexto, com 25. O Verdão volta a jogar às 21h de sábado, contra o Coritiba, no Pacaembu. O Sport visita o Fluminense no dia seguinte, às 16h.

Quando a fase é ruim, o mesmo goleiro que executa três grandes defesas sai de campo como vilão. Foi o que aconteceu com Fábio, cuja falha desmantelou o fragilizado Palmeiras e abriu caminho para a virada. O começo gerou otimismo, quando Henrique aproveitou jogada de Mouche e abriu a contagem para o Alviverde logo aos 13 minutos da etapa inicial, chegando a sete na competição - dois a menos que o artilheiro cruzeirense Ricardo Goulart. Mas a esperança acabou quando o lateral-direito Patric começou a aparecer.

Ele bateu a falta em que Fábio, de maneira bizarra, socou a bola para dentro da própria meta. Depois, aproveitou a sobra após duas boas defesas do goleiro e acertou chute de fora da área. Eram só 32 minutos, e o Palmeiras aguerrido, ofensivo e bem organizado do início do jogo já havia desaparecido. Não fossem as defesas de Fábio e uma bola na trave de Neto Baiano, os donos da casa fariam mais.

Ricardo Gareca parece não saber mais o que fazer para, enfim, vencer uma partida no Brasileirão. Wesley, que viu todo o clássico contra o São Paulo do banco, virou o substituto de Valdivia na armação e voltou ao time como capitão. Só durou até o intervalo, quando deu lugar a Cristaldo. Quem armava? Ninguém. Allione e Mouche, fraca dupla argentina, deram lugar a Leandro e Diogo, fraca dupla brasileira. Victorino, que herdou a vaga do suspenso Lúcio e foi titular pela primeira vez desde que chegou, também não jogou nada. Sem ritmo, foi presa fácil para os adversários.

Com seis derrotas e um empate na competição, Gareca já superou o número de reveses do histórico Verdão de 1972 em todo aquele ano (cinco). O jejum total do Palmeiras no torneio já é de dez rodadas, com oito derrotas e dois empates. Nunca houve maior sequência infrutífera em Nacionais: as de 1985 e 2011 foram iguais.



Bookmark and Share