Porto Alegre, sábado, 25 de Outubro de 2014

  • 28/08/2014
  • 18:31
  • Atualização: 18:34

“De tanta dor, queria amputar as pernas”, revela ex-centroavante Batistuta

Maior artilheiro da história da seleção argentina viveu drama após abandonar a carreira

Batistuta viveu drama após pendurar as chuteiras | Foto: Daniel Garcia / AFP / CP

Batistuta viveu drama após pendurar as chuteiras | Foto: Daniel Garcia / AFP / CP

  • Comentários
  • Lancepress

O ex-centroavante Gabriel Batistuta revelou, em entrevista ao canal argentino TyC Sports, as consequências de anos seguidos de altas exigências físicas. O maior artilheiro da seleção argentina, que se aposentou em 2005, disse que o futebol lhe deixou sequelas físicas que o levaram ao desespero: “Deixei o futebol e, de um dia para o outro, não conseguia caminhar mais. Me urinei na cama, com o banheiro a três metros, porque não conseguia levantar”, disse.

Após carreira de grande sucesso, principalmente em Argentina e Itália – atuando por equipes como River Plate, Boca Juniors, Fiorentina, Roma e Inter de Milão -, o ex-atacante teve graves problemas no joelho e no tornozelo, e chegou a pedir para ter as pernas amputadas.

“Fui ver o doutor Avanzi (Roberto Avanzi, especialista em ortopedia e traumatologia) e pedi que cortassem as minhas pernas. Ele disse que eu estava louco. Eu insisti, não aguentava mais, vivia mal humorado. É impossível transmitir o tamanho da dor”, afirmou.

O craque também falou do procedimento cirúrgico de “fixação do tornozelo por meio de parafusos”, para diminuir as dores, que eram causadas pela falta de cartilagem nos tendões. “Ele (Roberto Avanzi) me pediu que escolhesse em que perna queria fazê-lo, porque nas duas seria impossível. Foi na direita, não importava. Meu problema é que não tenho cartilagem nos tendões. Meus 86 quilos estão apoiados sobre os ossos. E o osso contra osso me causava dor”.

Para deixar os fãs um pouco mais tranquilos, Batistuta disse que a situação melhorou nos últimos três anos.

Bookmark and Share