Porto Alegre, segunda-feira, 22 de Dezembro de 2014

  • 29/08/2014
  • 07:55
  • Atualização: 08:53

Inter não deve passar por mudanças drásticas após derrotas consecutivas

Luigi descartou "revolução" no clube por conta dos maus resultados

Inter não deve passar por mudanças drásticas após derrotas consecutivas | Foto: Fabiano do Amaral

Inter não deve passar por mudanças drásticas após derrotas consecutivas | Foto: Fabiano do Amaral

  • Comentários
  • Correio do Povo

O Inter enfrenta a pior crise da temporada. Já são três derrotas consecutivas, resultados que comprometeram a continuidade do clube na Copa Sul-Americana e o afastaram do encalço do líder do Campeonato Brasileiro. Se não houver uma reação imediata, todos os objetivos do ano ficarão comprometidos. No entanto, a reação não passará por alterações drásticas. A receita do momento é a manutenção, com ajustes.

“Não podemos fazer uma revolução. Sabemos que os resultados não estão bons e já estamos trabalhando em busca da reação. Vamos dar prosseguimento ao trabalho e ao planejamento, fazendo as correções que julgamos necessárias”, afirma o presidente Giovanni Luigi.

Ele, junto com outros dirigentes, terá uma reunião com Abel Braga antes do treino de hoje pela manhã. A ideia é juntar forças para não deixar uma vitória sobre o Palmeiras, amanhã, em São Paulo, escapar. “Não podemos nos desesperar. Há pouco tempo, tivemos cinco vitórias seguidas. Agora, estamos em um momento ruim, mas não podemos baixar a cabeça”, observa o lateral-esquerdo Fabrício, que está voltando ao time.

Outro reforço importante para Abel deve ser Willians. Recuperado de lesão muscular, o volante treinou ontem e deve jogar contra o Palmeiras.

Bookmark and Share