Porto Alegre, sábado, 1 de Novembro de 2014

  • 30/08/2014
  • 12:48
  • Atualização: 14:03

Delegado intimará jovem sobre racismo na segunda

Polícia Civil ainda aguarda imagens da Arena para identificar outros torcedores do Grêmio

Delegado irá intimar suspeita de racismo na próxima semana  | Foto: Reprodução / CP

Delegado irá intimar suspeita de racismo na próxima semana | Foto: Reprodução / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

O titular da 4ª Delegacia de Polícia Civil, delegado Herbert Moura Ferreira, afirmou neste sábado que pretende fazer a intimação para torcedora Patrícia Moreira, sobre as ofensas racistas proferidas contra o goleiro Aranha, na próxima semana. Em entrevista ao Correio do Povo, Ferreira deixou claro que a jovem de 23 anos não é considerada foragida e pode se apresentar de forma espontânea. "Na realidade nem fomos buscá-la ainda. Tudo irá se desenrolar na próxima semana, quando será feita a intimação na segunda-feira. Se ela quiser se apresentar e conversar conosco, não terá problema algum", disse. 

• Mulher suspeita de racismo na Arena do Grêmio é afastada do trabalho
• Aranha presta queixa por racismo em delegacia de Porto Alegre
• Grêmio identifica e exclui torcedores do quadro social
• "Grêmio dificilmente escapará de punição", avalia advogado do clube

Ferreira afirmou que ainda não recebeu as imagens da administração da Arena do Grêmio. Os vídeos do estádio devem ser usados para identificar outros torcedores que teriam ofendido Aranha durante o duelo entre o Tricolor e o Santos, válido pelas oitavas de final da Copa do Brasil. "Conforme o depoimento do Aranha, existem outras pessoas envolvidas neste episódio. Seriam vários torcedores, mas é cedo para precisar o número. Tenho pressa para receber estas imagens e trabalhar em cima delas", explicou.

Um dia depois de ser flagrada proferindo ofensas racistas durante o jogo do Grêmio, Patrícia Moreira perdeu o emprego onde atuava como auxiliar de saúde bucal, em uma clínica de Porto Alegre. Segundo informações de um dos responsáveis do centro odontológico do local, a substituição de Patrícia foi solicitada à empresa terceirizada que presta estes serviços.

Envolvido em mais um episódio de racismo, o Grêmio corre risco se sofrer uma pena dura do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O árbitro Wilton Sampaio, que no primeiro momento não havia relatado nenhum incidente na súmula, fez um adendo em que cita as ofensas proferidas por alguns torcedores que estavam na Arena. O advogado gremista Gabriel Vieira afirmou que há o temor que o clube sirva de exemplo no futebol brasileiro.

O caso de racismo na Arena fez com que o STJD suspendesse a partida de volta entre Santos e Grêmio, marcada para a próxima quarta-feira, na Vila Belmiro. A corte esportiva tomou a decisão por uma das penas possíveis, caso o Tricolor seja considerado culpado, acarretaria na desclassificação do clube de qualquer maneira. Isso tornaria o jogo sem função.

Em entrevista à Rádio Guaíba, o presidente do STJD, Caio Cesar Rocha, explicou que a medida não antecipa algum tipo de decisão sobre a culpa dos atos de racismo para o time. "É necessária a decisão, pois se o Grêmio passar para uma fase seguinte, o fato consumado influenciaria no julgamento posterior", comentou.


Assista aos vídeos:







Bookmark and Share