Porto Alegre, sábado, 25 de Outubro de 2014

  • 04/09/2014
  • 00:33

Com um jogador a menos, Flu perde para o Goiás e cai na Sul-Americana

Time carioca levou 1 a 0 no Serra Dourada

  • Comentários
  • Lancepress

Eliminado precocemente da Copa do Brasil, o Fluminense saiu, nesta quarta-feira, da Copa Sul-Americana também. No Serra Dourada, o Tricolor foi derrotado pelo Goiás por 1 a 0. Mesmo tendo perdido por 2 a 1 no Maracanã, no confronto de ida, o Esmeraldino saiu classificado pelo critério de gols marcados fora de casa.

Algumas chances e nenhum gol

Cristovão Borges surpreendeu ao escalar a equipe para o jogo de volta da Copa Sul-Americana. Quando tudo indicava que Wágner seria titular - tendo, inclusive, sido o escolhido para conceder entrevista coletiva na véspera da partida -, o treinador tricolor optou pelo retorno de Carlinhos à lateral esquerda e mantou o meio de campo com Chiquinho como meia-atacante, em sua posição de origem. Diguinho e Cícero completaram o setor, que também teve Jean e Conca. Fred foi a única peça de ataque entre os 11 iniciais.

Mesmo com um meio de campo povoado, o Tricolor demonstrou dificuldades para manter a posse de bola. O Goiás, neste quesito, também esteve abaixo do esperado. A verdade é que a qualidade técnica do confronto não foi das melhores. Apesar disso, as grandes chances foram dos visitantes.

O Fluminense levou perigo pela primeira vez com oito minutos de jogo. Foram dois lances em sequência. Primeiro, Chiquinho chegou bem na esquerda e cruzou rasteiro. A zaga cortou. Depois, pela direita, Bruno fez outro cruzamento. A bola passou por todo mundo e quase entrou no canto do gol.

O goleiro Renan, que ficara assustado momentos antes, quase teve que buscar a bola no fundo das redes aos 16 minutos. Conca cobrou falta fechada e Carlinhos, de cabeça, testou para fora. O mesmo jogador, depois, sairia cara a cara com o arqueiro adversário, após bela jogada individual, e chutaria para fora, ao invés de dar um passe para Cícero, que avançava sozinho logo ao lado.

A melhor oportunidade do Esmeraldino fora aos 19 minutos. Tiago Real recebeu ótimo lançamento, dominou bonito, fintou o marcador e mandou uma bomba para o gol. Felipe Garcia fez defesa incrível.

Sem muitas emoções da metade para o fim da etapa inicial, o árbitro apitou para indicar o intervalo. A torcida goiana, finalmente, cessou os cantos de incentivo ao time. No recomeçar do confronto, os cantos voltariam ainda mais altos.

Gol-relâmpago põe Goiás em vantagem; expulsão de Elivélton complica o Flu

Logo no retorno do vestiário, um lance mudou o panorama do confronto. Se a partida pendia mais para os visitantes, tudo mudou no segundo minuto da etapa final. David cobrou escanteio, Léo Veloso escorou de cabeça e a bola sobrou para Erik, sozinho, testar para a rede tricolor. Todos os últimos cinco gols do Goiás foram de autoria do jovem atacante.

O placar de 1 a 0 para o Esmeraldino já colocava o Fluminense em apuros, de acordo com o critério dos gols marcados fora de casa (o jogo de ida foi 2 a 1 para o Tricolor), mas outro acontecimento complicaria ainda mais a vida dos comandados de Cristovão Borges. Elivélton, que já havia recebido cartão amarelo, parou contra-ataque com falta dura e levou o vermelho.

Com um a menos em campo, o técnico tricolor, que mexera mal na equipe anteriormente, se perdeu de vez nas substituições. Se antes sacara Carlinhos e Bruno para dar lugar a Kenedy e Walter, respectivamente, desta vez retirou Fred do gramado para que Marlon entrasse. O zagueiro, assim, formou a linha de quatro homens com Jean (de lateral-direito), Henrique (zaga) e Chiquinho (lateral-esquerdo).

Perdido em campo, o Flu não mostrava o menor poder de reação. Por pouco não sofreu mais um gol, já que Felipe Garcia praticou bela defesa em chute de longe de Esquerdinha. Por pouco, também, não teve mais um, atleta expulso. Kenedy se estranhou com adversário e houve um princípio de confusão entre os dois times. O árbitro pegou leve e só amarelou o atacante.

Nessa altura, a torcida esmeraldina, eufórica, entoava o canto de "timinho", em referência ao Time das Laranjeiras. Perto do apagar das luzes, quase que o grito mudou. De provocação, viraria celebração, não fosse a defesa fantástica de Felipe Garcia. Esquerdinha adentrou na área e bateu forte. O terceiro arqueiro tricolor fez milagre.

A comemoração da torcida, porém, foi apenas adiada. Apesar da boa atuação do goleiro reserva do Flu, o Goiás se classificou. E com méritos. O Flu teve um "apagão" na segunda etapa e está fora de mais uma competição na temporada. Só restou o Brasileiro.

Bookmark and Share