Porto Alegre

9ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 21 de Agosto de 2017

  • 09/08/2017
  • 08:44
  • Atualização: 08:49

Guto encontra seu time ideal no Inter

Escalação para jogo contra o Londrina, sábado, deve ser a mesma que venceu o Guarani

D’Alessandro compõe linha de quatro jogadores que se revezam entre o meio-campo e ataque | Foto: Ricardo Duarte / Inter / Divulgação / CP

D’Alessandro compõe linha de quatro jogadores que se revezam entre o meio-campo e ataque | Foto: Ricardo Duarte / Inter / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Fabrício Falkowski

Após tatear por algumas semanas, Guto Ferreira encontrou uma forma para o Inter jogar. E não será agora, após três vitórias consecutivas, que ele abrirá mão do esquema e da formação que vem apresentando bom futebol, além de conquistar resultados positivos. No treino da manhã dessa terça-feira, ele emitiu claros sinais de que vai mandar a campo para enfrentar o Londrina, neste sábado, no Beira-Rio, o mesmo time que bateu o Guarani na última rodada da Série B.

“O Guto está utilizando sempre o mesmo esquema, e isso é importante para dar um padrão ao time. A cada jogo, vamos assimilando mais o que ele pensa, a ideia dele de jogo e a filosofia de trabalho. Isso se reflete dentro de campo. Estamos mais entrosados e mais confiantes para jogar”, afirmou o lateral Uendel, que voltou a treinar ontem.

O esquema proposto por Guto é diferente daquele que foi utilizado por Antônio Carlos Zago, seu antecessor. Ele usa um atacante, que neste momento é Leandro Damião, à frente de uma linha com quatro “volantes” com D’Alessandro, Edenilson, Sasha e Pottker. Todos têm funções ofensivas e defensivas. Atrás, Rodrigo Dourado atua posicionado na frente de uma linha com quatro defensores.

Ou seja, Guto usa o 4-1-4-1, muito semelhante ao que Tite impôs na Seleção Brasileira. Zago, após testar o 4-2-3-1, passou a utilizar o 4-3-2-1 (conhecido como esquema árvore de Natal).

“Sabemos que uma sequência de três vitórias é muito importante para o time, mas tem que ganhar novamente já no nosso próximo compromisso. Não é porque vencemos três seguidas que o jogo contra o Londrina está ganho por antecipação. Pelo contrário. Será um jogo difícil, pois devemos ter mais uma equipe fechada jogando no Beira-Rio. Vai dar trabalho, mas temos que ter consciência que o gol pode sair no primeiro ou no último minuto”, segue Uendel.

Com a semana livre de jogos, Guto seguirá os treinamentos em preparação para a partida até sexta-feira, véspera do confronto. “A gente sabia que o resultado iria aparecer porque o trabalho era bem feito. Vamos corrigindo uma coisa ali, outra aqui, e acabamos ganhando confiança. Mas não está 100% e tem muito espaço para evolução. Por isso, não podemos entrar no comodismo. Tem que manter os pés no chão e seguir a disputa”, finaliza o lateral.

Defesa se torna a menos vazada

Antes apontada como o calcanhar de Aquiles do time colorado, a defesa encerrou o primeiro turno da Série B em alta. Graças à sequência de três partidas sem sofrer gols, o Inter acaba essa fase da competição com a defesa menos vazada, com 13 gols em 19 partidas.

Ironicamente, a defesa encontrou seu melhor momento com dois jogadores antes contestados. O primeiro foi Klaus, que parecia fora dos planos quando recebeu uma chance diante da ausência de outras alternativas. O outro é Cláudio Winck, que começou a temporada o Inter B que disputava a terceira divisão do Gauchão. “Eu sei que o meu forte não é a marcação. Mas estou trabalhando para melhorar”, diz.