Porto Alegre, sexta-feira, 28 de Novembro de 2014

  • 05/07/2014
  • 08:46
  • Atualização: 08:47

Ucrânia diz ter expulsado pró-russos de reduto no leste do país

Anúncio pode colocar em risco os esforços diplomáticos para acabar com a crise

Ucrânia diz ter expulsado pró-russos de reduto no leste do país | Foto: Genya Savilov / AFP / CP

Ucrânia diz ter expulsado pró-russos de reduto no leste do país | Foto: Genya Savilov / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

Os combatentes rebeldes pró-russos e seu líder abandonaram neste sábado a cidade de Slaviansk, um de seus redutos no leste da Ucrânia, e o exército estava prestes a retomar o controle do local, anunciaram as autoridades ucranianas. Este é, de longe, o maior êxito militar desde o início da chamada operação antiterrorista contra os insurgentes pró-russos, que recomeçou após o final do cessar-fogo na última segunda-feira.

A notícia pode colocar em risco os esforços diplomáticos para acabar com a crise. Neste sábado um grupo de contato que inclui representantes de Ucrânia, Rússia, a OSCE e os rebeldes deve se reunir, mas o local ainda não está decidido. Grande parte dos combatentes pró-russos e seu principal chefe fugiram de Slaviansk, um de seus redutos no leste da Ucrânia, anunciou na manhã deste sábado o ministro do Interior ucraniano, Arsen Avakov, em sua página do Facebook.

"Antes do amanhecer, os serviços de informação disseram que Guirkin (Igor Strelkov) e grande parte dos combatentes fugiram de Slaviansk, semeando a confusão entre os poucos que permanecem", escreveu Avakov. A Ucrânia garante que Strelkov é um coronel do serviço de informação militar russo conhecido como Departamento Central de Inteligência (GRU), embora tanto o próprio Strelkov quanto Moscou neguem este vínculo.

Os países ocidentais, por sua vez, consideram que o Kremlin está financiando e armando em segredo os insurgentes para desestabilizar os novos líderes pró-europeus de Kiev e que controla as regiões de língua russa do leste da Ucrânia.

Avakov declarou que os rebeldes estavam fugindo em direção a Gorlivka, uma cidade de 260.000 habitantes situada 5 quilômetros a sudeste de Slaviansk, também sob controle da insurgência pró-russa. "Os civis se dirigem aos postos de controle com as armas e os coletes à prova de balas abandonados pelos combatentes", acrescentou.