Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

  • 07/07/2014
  • 23:10
  • Atualização: 23:22

Brasil e Argentina iniciam projeto conjunto de astronomia

Investimento de até US$ 20 milhões vai instalar antena para pesquisa de buracos negros

  • Comentários
  • AFP

Brasil e Argentina iniciam projeto de astronomia em colaboração internacional. Os países vão instalar uma antena de 12 metros de diâmetro destinada a pesquisas astronômica na cidade de Salta, a 1,6 mil quilômetros de Buenos Aires. Trata-se do LLAMA, iniciativa avaliada entre 15 e 20 milhões de dólares, segundo a secretaria de Ciência e Tecnologia argentina.

A antena parabólica ficará em Altos de Chorrillo, na puna (planalto da Cordilheira dos Andes), 4.825 metros acima do nível do mar, o que permitirá estudar física solar e buracos negros, entre outros fenômenos do Universo. "Este telescópio significará um salto maiúsculo para as pesquisas em radioastronomia e, por sua vez, promoverá um grande impulso tecnológico", explicou a titular da pasta científica, Soledad Vicente.

A antena está estrategicamente situada para pesquisas coordenadas com uma rede de 60 antenas instaladas, no âmbito do projeto ALMA, do lado chileno do deserto do Atacama, por Estados Unidos, Canadá, Japão, Taiwan e países europeus. Quando a antena do projeto LLAMA operar em conjunto com uma rede que está do outro lado da Cordilheira, será como ter um telescópio de quase 200 quilômetros de diâmetro.

No projeto, o Brasil se comprometeu em comprar o radiotelescópio, enquanto a Argentina se encarregará de desenvolver caminhos, instalações e toda a infraestrutura necessária em Salta para operar o sistema. O centro brasileiro-argentino de Astronomia (ABRAS) será construído sobre o cordão do monte Macón, a 4.650 m de altitude e a 360 km da cidade de Salta.

Bookmark and Share