Correio do Povo

Porto Alegre, 29 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
10ºC
Amanhã
13º 24º


Faça sua Busca


Notícias > Geral > Saúde

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

08/07/2014 11:42 - Atualizado em 08/07/2014 11:50

Clínicas restringe atendimento em emergências devido à superlotação

Hospital de Porto Alegre opera com quase triplo da capacidade

Hospital de Porto Alegre opera com quase triplo da capacidade<br /><b>Crédito: </b> André Ávila
Hospital de Porto Alegre opera com quase triplo da capacidade
Crédito: André Ávila
Hospital de Porto Alegre opera com quase triplo da capacidade
Crédito: André Ávila

O Hospital de Clínicas de Porto Alegre restringiu o atendimento nas emergências adulta e infantil em função da superlotação. Na manhã desta terça-feira, o número chegava a quase o triplo da capacidade: 153 pessoas – 138 adultos e 15 crianças – para 58 leitos.

O chefe do setor, Ricardo Kuchenbecker, explicou que o somatório de dias de frio, aliado à umidade, se torna um combustível para infecções respiratórias. As crianças, sobretudo as menores dois anos, são as mais sensíveis às bronquiolites, por exemplo. “Na maior parte das vezes, não é grave mas alguns casos demandam mais atenção e internação”, disse.

Os sintomas de problemas respiratórios e cardiovasculares tendem a se agravar com esse clima nos adultos. Além da questão do tempo, o médico destacou que houve um aumento de procura por moradores do interior. “Buscamos reforço, com horas extras, mas não temos capacidade”, salientou.

O resultado é lentidão e dificuldade de acomodação. Boa parte dos doentes fica deitada provisoriamente em macas e cadeiras. Ontem havia cerca de 60 pacientes aguardando uma cama. “Nos casos sem risco de morte, pedimos que a população procure outro tipo de atendimento”, orientou.

A situação não era diferente em outras emergências da Capital. A Santa Casa operava com restrição. O Santa Clara, que atende adultos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), tinha 41 pessoas para 26 leitos pela manhã. No Dom Vicente Scherer, que recebe convênios, tinha 23 para 14 espaços.

No Hospital Conceição, o atendimento era normal, apesar da superlotação. Havia 101 pacientes para 64 leitos, na emergência adulto. Já no Hospital da Criança, eram 18 para 14 camas. O São Lucas da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Pucrs)tinha 36 adultos para 13 leitos e cinco crianças para seis espaços.

Bookmark and Share


Fonte: Karina Reif / Correio do Povo





» Tags:Geral Saúde

O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.