Porto Alegre, segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

  • 09/07/2014
  • 12:07
  • Atualização: 12:12

ONU quer inserir mudanças climáticas em políticas de saúde

Inundações, secas, temporais e elevação do nível do mar podem fortalecer doenças como malária, dengue e cólera

  • Comentários
  • AFP

Duas agências da ONU anunciaram nesta terça-feira, a criação de um gabinete conjunto para ajudar a combater a ameaça que as mudanças climáticas e os fenômenos climáticos extremos representam para a saúde, como as ondas de calor. Segundo cientistas, as inundações, as secas, os temporais e a elevação do nível do mar vão fortalecer doenças como malária, dengue e cólera.

A nova unidade criada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Organização Meteorológica Mundial (OMM) terá como objetivo prestar assessoria sobre os perigos para a saúde vinculados às mudanças climáticas. "As mudanças climáticas estão causando um aumento de fenômenos extremos, como as ondas de calor e as fortes chuvas, o que tem um grande impacto na saúde humana", declarou o secretário-geral da OMM, Michel Jarraud, em um comunicado.

De acordo com porta-voz da OMS, o setor da saúde pede cada vez mais assessoramentos confiáveis sobre temas climáticos e meteorológicos. A nova unidade começará a funcionar com um programa para ajudar o Malauí e a Tanzânia a incorporarem informações sobre temas climáticos e meteorológicos ao planejamento de suas políticas sanitárias.

Bookmark and Share


TAGS » Clima, ONU, Internacional