Porto Alegre, sábado, 25 de Outubro de 2014

  • 09/07/2014
  • 17:17
  • Atualização: 17:19

Nova perícia no prédio da Boate Kiss segue sem data definida

agenda depende da disponibilidade do Instituto Geral de Perícias em Porto Alegre

  • Comentários
  • Ananda Müller/Rádio Guaíba

 O juiz Ulysses Louzada, titular da 1ª Vara Criminal de Santa Maria, que responde pelo caso da boate Kiss na esfera civil, autorizou nova perícia no interior do prédio onde funcionou a boate, mas a data do procedimento segue indefinida. A agenda depende da disponibilidade do Instituto Geral de Perícias em Porto Alegre, que vai encaminhar técnicos da Capital para Santa Maria. Ainda em 11 de março o IGP esteve no interior do prédio e coletou materiais que foram preservados para posterior análise e periciamento. Ainda assim, as defesas de Elissandro Spohr e Mauro Hoffmann, ex-sócios da casa noturna e réus no processo, solicitaram nova perícia.

A Justiça sustenta que a nova visita não interfere no andamento do processo e também não impede a continuidade do pedido de limpeza do interior do local, que segue igualmente sem data definida.

As audiências com testemunhas arroladas pela acusação já foram encerradas e, a partir de setembro, a Justiça passa à fase de oitivas com testemunhas de defesa. No total, 55 pessoas serão ouvidas nas cidades de Santa Maria, Porto Alegre, Tupanciretã e Chapecó, em Santa Catarina.

Quatro réus respondem por homicídio doloso no caso da boate Kiss: Elissandro Spohr e Mauro Hoffmann, ex-sócios da boate, Luciano Bonilha Leão, produtor da banda Gurizada Fandangueira, e Marcelo de Jesus dos Santos, vocalista da banda. Na madrugada de 27 de janeiro de 2013 um incêndio no interior da casa noturna deixou 242 mortos e mais de 600 feridos.

Bookmark and Share


TAGS » Polícia, Boate Kiss