Porto Alegre, segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

  • 09/07/2014
  • 22:39
  • Atualização: 22:53

Águas começam a recuar, mas cheia ainda castiga a Fronteira

Itaqui viu primeiros moradores voltarem às suas casas, mas maioria segue desalojada

  • Comentários
  • Correio do Povo

A Fronteira-Oeste ainda registrava a situação mais preocupante quanto à enchente, nesta quarta-feira. Em Itaqui, o rio Uruguai recuou 1,84 metro e estava 11,36 m acima do normal à tarde. Por conta disso, os primeiros moradores entre os 10,8 mil atingidos retornaram para casa, segundo o secretário de Assistência Social, Rivaldo Goulart da Silva.

Mas a grande maioria permanece no Ginásio do Clube Cassino, piquetes e centros comunitários, além de residências de parentes. Equipes de assistentes sociais e psicólogos percorrem as áreas afetadas para levantar prejuízos e necessidades das famílias.

Carregamento de água mineral, doado pela Polícia Civil de Bento Gonçalves, já está na cidade. De Cascavel (PR) e de Panambi, são esperadas cargas de donativos. A maior necessidade é de madeira. Das 294 casas removidas pela cheia, 50% não têm condições de retornar ao local de origem, e há ainda dezenas de moradias danificadas. Para doar, o contato é (55) 3433-2066.

A Coordenadoria Municipal da Defesa Civil e a Prefeitura de Porto Xavier encaminharam na terça-feira para os governos estadual e federal o relatório final dos prejuízos provocados pela enchente do rio Uruguai. O valor total alcança mais de R$ 20 milhões. São contabilizadas perdas nos setores primário, industrial e de comércio, além de estragos na infraestrutura no município, abrangendo, por exemplo, moradias, pontes, estradas e bueiros. Foram 620 residências atingidas pela cheia.

O serviço de comércio exterior no Porto Internacional de Porto Xavier voltou à normalidade na terça-feira. O inspetor da Receita Federal Nilo Ordilei Ribas confirmou que o local ficou fechado durante dez dias, o que causou prejuízo de R$ 10 milhões na área de importação e exportação. Com o feriado do Dia da Independência da Argentina, o serviço da aduana não funcionou. Com isso, estavam parados no pátio da Receita cem carretas carregadas com insumos agrícolas.

Em Uruguaiana, os prejuízos exatos só serão conhecidos a partir de segunda-feira, quando o rio Uruguai deverá ter retornado ao normal. Os primeiros 1,2 mil kits de higiene chegaram e outros deverão ser enviados pelo Estado. Dados da Defesa Civil estadual divulgados no fim da tarde desta quarta indicam 157 municípios afetados pelas chuvas. Cerca de 18,3 mil gaúchos ainda estão fora de casa.

Com informações de Fred Marcovic.

Bookmark and Share