Porto Alegre, quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

  • 10/07/2014
  • 07:35
  • Atualização: 07:52

Cheia do rio Uruguai ainda castiga Fronteira Oeste

Dos 157 municípios atingidos pelas enchentes, 131 decretaram situação de emergência

Cheia do rio Uruguai ainda castiga Fronteira Oeste | Foto: Jairo de Souza / Especial / CP

Cheia do rio Uruguai ainda castiga Fronteira Oeste | Foto: Jairo de Souza / Especial / CP

  • Comentários
  • Fred Marcovici / Correio do Povo

A Fronteira-Oeste ainda registra a situação mais preocupante quanto à enchente no Estado. Em Itaqui, o rio Uruguai recuou 1,84 metro nessa quarta e estava 11,36 metro acima do normal à tarde. Os primeiros moradores entre os 10,8 mil atingidos retornaram para casa, segundo o secretário de Assistência Social, Rivaldo Goulart da Silva. Mas a grande maioria permanece no Ginásio do Clube Cassino, piquetes e centros comunitários, além de residências de parentes. Equipes de assistentes sociais e psicólogos percorrem as áreas afetadas para levantar prejuízos e necessidades das famílias.

Doação de água mineral pela Polícia Civil de Bento Gonçalves já está na cidade. De Cascavel (PR) e de Panambi, são esperadas cargas de donativos. A maior necessidade é de madeira. Das 294 casas volantes removidas pela cheia, 50% não têm condições de retornar ao local de origem, e há ainda dezenas de moradias danificadas. Para doar, o contato é (55) 3433-2066.

Em Uruguaiana, os prejuízos exatos só serão conhecidos a partir de segunda-feira, quando o rio Uruguai deverá ter retornado ao normal. Os primeiros 1,2 mil kits de higiene chegaram e outros deverão ser enviados pelo Estado. No lento trabalho de reconstrução, o vigilante Mauro Benitez constatou ter perdido todos os móveis que não puderam ser retirados a tempo. Dados da Defesa Civil estadual divulgados no fim da tarde de ontem indicam 157 municípios afetados pelas chuvas. Cerca de 18,3 mil gaúchos ainda estão fora de casa.

De acordo com balanço da Defesa Civil do Estado divulgado às 7h desta quinta-feira, o número de municípios atingidos pelas enchentes no Rio Grande do Sul segue o mesmo: 157. Desses, 131 decretaram situação de emergência e dois - Barra do Guarita e Iraí - estado de calamidade pública.

Ainda há 18.391 pessoas fora de casa devido às enchentes. São 1.321 desabrigados - em abrigos municipais - e 17.070 desalojados -  em residências de parentes e amigos. Duas pessoas morreram em Arroio do Tigre e Jacutinga.

Bookmark and Share