Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 10/07/2014
  • 14:06
  • Atualização: 14:07

Ampliação da rede hospitalar terá mais de mil novos leitos

Unidades do Instituto de Cardiologia atenderão pacientes de Porto Alegre, Alvorada, Viamão e Cachoeirinha

  • Comentários
  • Jezica Bruno / Correio do Povo

As cidades de Porto Alegre, Alvorada, Viamão e Cachoeirinha receberão 1.024 novos leitos hospitalares. As unidades são geridas pelo Instituto de Cardiologia, que, juntamente com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), apresentou, na manhã desta quinta-feira, o projeto de ampliação da rede hospitalar com a construção de um novo edifício adicionado a cada unidade já existente. Para isso, serão investidos R$ 124 milhões por parte do Estado e uma contrapartida de R$15 milhões do Instituto.

O próximo passo é a abertura de processos licitatórios. Para o superintendente-geral do Instituto e idealista da iniciativa, Alberto Beltrame, as obras deverão iniciar em seis meses e a conclusão está prevista para 18 meses. Após o término da obra, a capacidade da instituição na Capital irá passar dos 242 leitos atuais para 536, triplicar em Alvorada e Cachoeirinha, onde tem 100 leitos cada para 350 cada, e quase triplicar em Viamão, partindo dos 142 leitos para 400.

Insuficiência da capacidade motiva projeto

De acordo com Beltrame, o projeto surgiu a partir de problemas constatados pela equipe como a insuficiência da capacidade hospitalar na Região Metropolitana, emergências com atendimento superior à capacidade, piora nos indicadores de saúde e insatisfação da população. “Há 15 anos não temos uma ampliação significativa de leitos. Aqui temos um cenário de superlotação permanente. Com isso, desejamos trazer mais agilidade no atendimento de média e alta complexidade, reduzir a demanda reprimida e fortalecer os serviços”, informou Beltrame.

“Essa rede irá permitir que os pacientes que necessitam hoje de atendimento na Capital, possam recebê-lo mais perto, em sua cidade”, destaca o presidente da instituição, Ivo Nesralla. A expectativa do Instituto é abrir vagas para mais 3,8 mil profissionais. Para a secretária estadual de Saúde, Sandra Fagundes, a proposta, que foi encaminhada entre setembro e outubro de 2013, irá servir como um filtro aos hospitais de Porto Alegre. “A ampliação irá gerar um impacto direto na qualificação do sistema para desafogar os hospitais da Capital”, afirmou.

Ambientes serão climatizados e terão internet

As três unidades da Região Metropolitana terão atendimento geral de média complexidade 100% pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em Viamão, haverá também a especialidade em cardiologia, neurocirurgia e traumatologia. Os hospitais de Alvorada e Cachoeirinha deixarão o perfil materno-infantil e passarão a contar com uma UTI adulto e terão aumento na área cirúrgica. Já em Porto Alegre, o atendimento será 70% destinado a pacientes via SUS e mantém a sua especialidade.

O projeto prevê conceitos de hotelaria hospitalar por meio de ambientes com climatização, TV e internet, entre outros. Também está prevista a construção de áreas de descanso para visitantes.

Bookmark and Share


TAGS » Hospital, Geral