Porto Alegre, sábado, 1 de Novembro de 2014

  • 10/07/2014
  • 16:48
  • Atualização: 16:49

Elevação de 10 metros do rio Uruguai impede retorno de afetados pelas chuvas na Fronteira

Cerca de 18 mil gaúchos permanecem desabrigados ou desalojados em todo o RS

Elevação de 10 metros do rio Uruguai impede retorno de afetados pelas chuvas na Fronteira | Foto: Claudio Fachel / Palácio Piratini / CP

Elevação de 10 metros do rio Uruguai impede retorno de afetados pelas chuvas na Fronteira | Foto: Claudio Fachel / Palácio Piratini / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo e Ananda Müller/Rádio Guaíba

A Defesa Civil do Estado projeta o retorno dos afetados pelas chuvas na Fronteira Oeste no começo da próxima semana, desde que o tempo permaneça seco. Cerca de 18 mil pessoas permanecem fora de casa devido a elevação no nível das águas do rio Uruguai. De acordo com a medição realizada ao meio dia desta quinta-feira, as águas ainda mediam 10,5 metros acima da marca considerada normal.

Em São Borja, 600 pessoas seguem fora de casa: 150 desabrigadas e outras 450 desalojadas. Já em Uruguaiana, são 6.087: 5.821 delas desalojadas e 236 desabrigadas. O maior número, no entanto, é registrado em Itaqui. A prefeitura da cidade não liberou a estimativa exata, mas a Defesa Civil supõe que mais de 10 mil pessoas sigam em abrigos ou casas de parentes.

De acordo com o capitão Gerson Mello, coordenador regional da defesa civil na Fronteira Oeste, 1,35 mil kits de limpeza, higiene, alimentação e dormitório já foram encaminhados às famílias de São Borja, e outros 2,5 mil serão enviados a Itaqui. Uruguaiana vai receber o maior número de materiais: serão 3,75 mil unidades para a população afetada. Além disso, cidades de outras regiões do Estado estão encaminhando caminhões com água e mantimentos para dar suporte aos desabrigados.

O capitão Gerson relembra que o retorno total apenas pode ser efetuado com a total normalização do nível do rio, uma vez que muitas residências afetadas vivem às margens do Uruguai.

Bookmark and Share