Porto Alegre, terça-feira, 23 de Dezembro de 2014

  • 10/07/2014
  • 22:42
  • Atualização: 22:44

Segurança da final da Copa terá 26 mil agentes no Rio, diz ministro

Planejamento inclui também cerca de 1,5 mil homens da segurança privada

  • Comentários
  • Agência Brasil

O esquema de segurança para a final da Copa do Mundo, domingo, no Maracanã, vai contar com cerca de 26 mil integrantes das Forças de Segurança. O anúncio foi feito pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, após a reunião com integrantes dos ministérios da Justiça, da Defesa, das Relações Exteriores, da Secretaria de Segurança do Rio de Janeiro e da Federação Internacional de Futebol (Fifa), no hotel Sofitel, em Copacabana.

"A reunião foi excelente dentro do que tínhamos planejado. Analisamos tudo aquilo que precisava ser objeto do detalhamento final e podemos dizer que teremos aproximadamente 26 mil homens da segurança pública atuando aqui durante a final", disse

Cardozo disse que o planejamento inclui também cerca de 1,5 mil homens da segurança privada. "É aquilo que tinha sido planejado para uma final. Obviamente, dentro de um detalhamento de segurança que nos dá muito conforto e nos deixa bastante tranquilos de que manteremos o padrão de excelência que temos tido desde o início da Copa do Mundo", analisou.

Segundo o ministro, não se trata de um reforço porque o contingente já estava previsto no planejamento inicial. "Nós tínhamos anunciado na ocasião da reunião com o secretário geral da Fifa que, um dia após a definição dos times, nós voltaríamos para detalhar este planejamento e é o que estamos fazendo. Está rigorosamente dentro do planejamento original. Não vou falar em reforço porque teríamos que falar em reforço se precisássemos alterar o plano", explicou.

O governo e a Fifa estão avaliando todas as situações estratégicas necessárias para a segurança do jogo, dos torcedores e das delegações com chefes de Estado e de governo que virão para a partida de encerramento do Mundial. "Temos que acompanhar tudo: proteção de autoridades, proteção de delegações, proteção dos turistas, dos brasileiros. Tudo é observado pela segurança pública e tudo será objeto da nossa ação e da nossa planificação", listou.

Segundo Cardozo, 26 mil homens é o número necessário de agentes para garantir o padrão que tem sido alcançado até agora no megavento. "Acredito que temos um contingente e uma planificação muito boas e nos deixa muito seguros que o padrão de excelência da segurança se repetirá mais uma vez", contou.

O ministro não revelou quantos argentinos são esperados no Rio no domingo, mas garantiu que todos os turistas que vierem para a cidade estarão seguros. "Não vamos detalhar, vamos aguardar [o número de argentinos]. O que posso dizer é que todos os turistas que aqui vierem serão bem recebidos e podem ficar seguros que teremos um excelente padrão de segurança. Tenho certeza que essa final será uma festa que coroará aquilo que é um êxito, que o mundo inteiro reconhece, que é a Copa do Mundo organizada pelo Brasil", completou.

Cardozo disse que a única coisa que vai faltar na final é a seleção brasileira. "Faltou o Brasil na final, mas o Brasil está presente com o carinho do seu povo, com a organização da Copa, que foi reconhecida pelo mundo inteiro. Perdemos dentro do campo, mas fora do campo estamos ganhando e o mundo aplaudindo", avaliou.

O chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, general José Carlos De Nardi, também avaliou que até agora o planejamento para a Copa deu certo. "Melhor impossível. Repito as palavras do ministro, nós só falhamos no campo, o resto foi tudo bem graças ao povo brasileiro", disse.

Nesta sexta, o esquema de segurança será detalhado em entrevista no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), no centro do Rio. Depois, o ministro e representantes das Forças de Segurança farão mais uma reunião.

Serão divulgados detalhes sobre o esquema de segurança das delegações de chefes de Estado e de governo que estarão no Rio no domingo. Um dos eventos já confirmados será um almoço oferecido pela presidenta Dilma Rousseff no Palácio Guanabara, sede do governo do Rio, em Laranjeiras, na zona sul da cidade.

Bookmark and Share