Correio do Povo

Porto Alegre, 31 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
20ºC
Amanhã
16º 26º


Faça sua Busca


Notícias > Polícia

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

11/07/2014 11:03 - Atualizado em 11/07/2014 11:24

Justiça do Rio nega habeas corpus a executivo da Match

Raymond Whelan é suspeito de integrar grupo de suposto esquema de venda ilegal de ingressos da Copa

A polícia do Rio prendeu Raymond Whelan, suspeito de chefiar esquema de venda ilegal de ingressos dos jogos da Copa do Mundo <br /><b>Crédito: </b> Tasso Marcelo / AFP / CP
A polícia do Rio prendeu Raymond Whelan, suspeito de chefiar esquema de venda ilegal de ingressos dos jogos da Copa do Mundo
Crédito: Tasso Marcelo / AFP / CP
A polícia do Rio prendeu Raymond Whelan, suspeito de chefiar esquema de venda ilegal de ingressos dos jogos da Copa do Mundo
Crédito: Tasso Marcelo / AFP / CP

O plantão judiciário do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro negou nesta sexta-feira pedido de habeas corpus para o diretor da empresa Match, Raymond Whelan. O britânico teve prisão preventiva decretada na última quinta-feira pela Justiça, por suspeita de envolvimento em um esquema de venda ilegal de ingressos da Copa do Mundo.

Para manter a prisão do suspeito, a Justiça considerou indícios da Polícia Civil de que Whelan é líder do esquema criminoso. De acordo com a decisão da desembargadora Flavia Romano de Resende, ele é suspeito de fornecer, facilitar e desviar ingressos de jogos da Copa, que são revendidos com preços acima do impresso (o que contraria o Estatuto do Torcedor), resultando em “lucros exorbitantes que chegam a 1.000%”.

A Justiça também considerou como provas as 900 ligações telefônicas entre Whelan e integrantes do suposto esquema de venda ilegal de ingressos. Mais 11 investigados pela Operação Jules Rimet, da Polícia Civil fluminense, foram denunciados nessa quinta-feira por associação criminosa e cambismo (venda ilegal de ingressos), dos quais dez tiveram prisão preventiva decretada, inclusive o franco-argelino Lamine Fofana.

A Polícia Civil já o considera foragido, uma vez que não foi encontrado em seu quarto de hotel no Copacabana Palace na quinta-feira. A Match é uma empresa que tem direitos exclusivos sobre a comercialização de pacotes de hospitalidade da Copa 2014 (que incluem ingressos e serviços VIP).

Bookmark and Share


Fonte: Agência Brasil






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.