Porto Alegre, sexta-feira, 28 de Novembro de 2014

  • 12/07/2014
  • 09:13
  • Atualização: 09:31

Modelo de assistência em saúde mental cria ambiente fora do manicômio

Pacientes são inseridos em rotina diferente de um hospital

Modelo de assistência em saúde mental cria ambiente fora do manicômio  | Foto: Mauro Schaeffer

Modelo de assistência em saúde mental cria ambiente fora do manicômio | Foto: Mauro Schaeffer

  • Comentários
  • Cintia Marchi / Correio do Povo

Alternativas ao Hospital Psiquiátrico São Pedro, mais quatro residenciais terapêuticos devem começar a funcionar em Porto Alegre neste ano. As casas fazem parte de um novo modelo de assistência em saúde mental, que propõe a desinstitucionalização dos pacientes. Desde 2001, 35 residências foram ocupados com essa finalidade. Há meio ano a proposta se desenvolve também no Residencial Casa da Praça, localizado na Vila Ipiranga.

No local, os profissionais se esforçam para que a vida passe com mais naturalidade possível. Dez moradores, ex-pacientes do São Pedro, são inseridos na rotina normal de uma casa e de uma comunidade. “Aqui, nada lembra o hospital. As coisas vão acontecendo de acordo com as necessidade de cada um, dentro de um ambiente residencial”, destaca a coordenadora da Casa da Praça, nutricionista Maria Regina Almeida da Silva.

Aos poucos, os moradores vão extrapolando as barreiras. Na companhia de uma equipe multidisciplinar, eles ajudam a escolher o cardápio das refeições, passeiam pelas ruas, fazem compras, brincam com o cão de estimação, participam de oficinas, resgatam sua autonomia e, de certo modo, sua liberdade.

A coordenadora da Política de Desins-titucionalização dos pacientes do São Pedro, Fátima Fischer, diz que a rotina das residências fez com que os moradores enaltecessam suas subjetividades. “Os profissionais tinham dificuldade de olhar para as individualidades, mas em um grupo menor é possível praticar um plano terapêutico singular.”

A Secretaria Estadual da Saúde é responsável pela manutenção da casa e pelo pagamento dos profissionais (técnicos de enfermagem, assistente social, psicólogo, terapeuta ocupacional, enfermeiro, nutricionista, cozinheiro e auxiliar de serviços domésticos) que ficam 24 horas à disposição dos moradores. Os residentes utilizam seus benefícios da Previdência Social para suprir necessidades e vontades. Ainda residem no São Pedro 183 usuários, enquanto 78 migraram para os outros serviços e começam a enxergar o mundo de um outro ponto de vista.

Bookmark and Share


TAGS » Hospital, Geral