Porto Alegre, domingo, 21 de Dezembro de 2014

  • 15/07/2014
  • 18:50
  • Atualização: 19:09

Sete cidades gaúchas devem ficar sem recursos federais para recuperação das chuvas

Municípios não encaminharam a documentação necessária para receber verbas

  • Comentários
  • Ananda Müller/Rádio Guaíba

Sete cidades gaúchas que decretaram situação de emergência ou calamidade pública em virtude das chuvas das últimas semanas no Rio Grande do Sul não encaminharam a documentação necessária para receber verbas do governo federal para reparos emergenciais. O prazo para o repasse dos chamados Planos de Resposta Municipais terminou na tarde desta terça-feira, e apenas 136 das 143 cidades que emitiram decretos realizaram a entrega da documentação à Defesa Civil.

Erebango, Barão do Triunfo, Arambaré, Paraíso do Sul, Silveira Martins, Lajeado do Bugre e Santo Ângelo não realizaram o repasse dos dados em tempo hábil e ficarão de fora da listagem de municípios que terão direito às verbas que serão destinadas à recuperação emergencial dos pontos afetados pelo mau tempo. A composição do Plano de Resposta Estadual (que reúne as necessidades de todos os municípios afetados) ainda não acabou: a Defesa Civil, juntamente com o governo do Estado, está em contato com um grupo de aproximadamente 30 cidades que fizeram o repasse da documentação, mas erraram na hora de elencar as necessidades imediatas. Esse ajuste deve ser concluído ainda na noite de hoje.

As verbas que serão liberadas neste momento são destinadas para ações paliativas, como compra de telhas, kits de alimentação e dormitório, custeio de aluguéis sociais e demandas semelhantes. Construções de pontes e de estradas, por exemplo, são pedidos que não podem ser incluídas nesta etapa da solicitação de recursos. Pelo menos R$ 19 milhões são esperados, mas entre R$ 25 e R$ 30 milhões foram garantidos por Brasília e pelo Piratini em caso de necessidade.

O Plano vai ser entregue às 10h30min desta quarta-feira pelo governador Tarso Genro à ministra do Planejamento, Miriam Belchior, durante agenda que o chefe do Executivo gaúcho cumpre em Brasília.

O balanço mais recente divulgado pela Defesa Civil, divulgado no fim da tarde, mostra que caiu para 6.987 o total de pessoas fora de casa no Rio Grande do Sul – a maioria deles vive em Uruguaiana, que soma 5.821 desabrigados ou desalojados. Além disso, subiu de 166 para 167 o número de cidades afetadas pelas chuvas. São João do Polêsine, na região Central, entrou para a lista. O decreto de emergência já foi emitido e o laudo com os prejuízos encaminhado ao governo estadual, para que chegue amanhã a Brasília.

Bookmark and Share