Correio do Povo

Porto Alegre, 22 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
23ºC
Amanhã
19º 29º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

16/07/2014 10:53 - Atualizado em 16/07/2014 10:57

Tufão Rammasun mata pelo menos 11 nas Filipinas

Ventos de 250 km/h derrubaram árvores e viraram carros no Norte do país

Tufão Rammasun mata pelo menos 11 nas Filipinas
Crédito: Ted Aljibe / AFP / CP

Pelo menos 11 pessoas morreram na passagem do tufão Rammasun pelas Filipinas, que levou à paralisação da capital e forçou a retirada de milhares de pessoas em todo o país, informaram hoje as autoridades. Ventos de até 250 km/h arrancaram árvores, destruíram telhados de casas e viraram carros no Norte do país, especificamente em aldeias de pescadores. Rammasun em tailandês significa “Deus do Trovão”.

A queda de árvores, postes e muros causaram a morte de 11 pessoas no Norte das Filipinas. O Conselho Nacional de Gestão de Desastres filipino reportou cinco mortes, mas as autoridades locais confirmaram outras seis à imprensa.

Centenas de milhares de filipinos passaram a noite em abrigos para escapar do tufão que atingiu o arquipélago esta manhã. Cerca de 450 mil pessoas abandonaram suas casas e se refugiaram em abrigos, segundo o Governo das Filipinas.

As fortes rajadas de vento e chuva intensa paralisaram a capital filipina, com mais de 12 milhões de habitantes. O Ministério das Obras Públicas e Estradas garantiu que até a manhã de hoje não tinham ocorrido inundações em Manila, mas as autoridades decidiram fechar, por prevenção, os serviços públicos e a bolsa de valores, além cancelar as aulas nas escolas.

Bookmark and Share


Fonte: Agência Brasil






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.