Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 18/07/2014
  • 11:19
  • Atualização: 11:26

Rodoviários da Trevo encerram paralisação em Porto Alegre

Ônibus começaram a circular depois que 120 mil passageiros foram afetados

  • Comentários
  • Bibiana Borba / Rádio Guaíba

A paralisação dos rodoviários da empresa de ônibus Trevo foi encerrada no final da manhã desta sexta-feira em Porto Alegre. A mobilização que afetou 120 mil passageiros na zona Sul cidade iniciou ainda na madrugada, quando cerca de 50 funcionários da companhia decidiram cruzar os braços depois que um colega foi demitido. Os coletivos começaram a circular e a situação deve ser normalizada até o horário de pico da tarde.

Apesar do encerramento da paralisação, os rodoviários prometeram realizar uma nova mobilização na próxima segunda-feira se o funcionário desligado não for readmitido pela administração da empresa Trevo. A situação será monitorada pelo Ministério Público e pelo Tribunal do Trabalho.

De acordo com o líder do Comando de Greve da categoria, Alceu Weber, o motivo da demissão teria sido uma agressão sofrida por Adailson de Lima Rodrigues, no mês de abril, por um outro colega em frente à empresa. O motorista ficou em licença-saúde até a manhã desta quinta-feira, quando retornou ao trabalho e recebeu a notícia da demissão embora tenha sido vítima da agressão.

Paralisação dos funcionários fez com que 13 linhas de ônibus ficassem fora de circulação no começo da manhã de hoje. Das linhas paradas, pelos menos três delas foram abastecidas temporariamente pela empresa Unibus.

A empresa divulgou uma nota de esclarecimento à população. Confira na íntegra abaixo:

A empresa Trevo, integrante do Consórcio STS, vem a público esclarecer os fatos que provocam a injusta penalização de 50% dos usuários do transporte coletivo da zona sul de Porto Alegre.

1. Em abril desse ano, dois colaboradores brigaram em frente às instalações da empresa;

2. É política da organização , em situações como essa, desligar por justa causa os protagonistas desse tipo de episódio com o intuito de coibir atitudes violentas;

3. Foi o que aconteceu com um deles naquele momento. O segundo, que estava em regime de benefício da Previdência Social, foi desligado ontem;

4. O Judiciário já concedeu interdito proibitório que foi entregue à Brigada Militar que afirma que só agirá se houver violência;

A empresa lamenta profundamente que o “interesse” de um indivíduo esteja sobrepondo sobre o direito de ir e vir da população da Zona Sul.

Bookmark and Share