Porto Alegre, segunda-feira, 22 de Dezembro de 2014

  • 18/07/2014
  • 13:42
  • Atualização: 14:01

Obama afirma que míssil que atingiu avião foi disparado de área rebelde da Ucrânia

Presidente dos EUA pede para Putin agir para frear os separatistas

Barack Obama pediu uma investigação minuciosa sobre a queda do avião | Foto: Jim Watson / AFP / CP

Barack Obama pediu uma investigação minuciosa sobre a queda do avião | Foto: Jim Watson / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

O presidente dos EUA, Barack Obama, declarou nesta sexta que um míssil disparado de um território controlado pelos rebeldes na Ucrânia foi o que derrubou o Boeing-777 da Malaysian Airlines, que caiu na fronteira da Ucrânia com a Rússia nessa quinta. Obama pressionou por uma investigação internacional e declarou que ao menos um cidadão americano estava entre os 298 mortos. O Departamento de Estado identificou a vítima como Quinn Lucas Schansman, que também tinha nacionalidade holandesa.  "Suas mortes são uma atrocidade de proporções indescritíveis", declarou Obama aos jornalistas.

"As evidências indicam que o avião foi abatido por um míssil terra-ar, que foi lançado a partir de uma área controlada por separatistas apoiados por russos no interior da Ucrânia", disse o presidente americano. Embora Obama tenha afirmado que aguarda o quadro geral da situação, lembrou que os rebeldes pró-russos já abateram no passado uma aeronave ucraniana.

O presidente, que no início da semana anunciou um aumento das sanções contra a Rússia devido ao conflito, pediu que o presidente russo, Vladimir Putin "tome o caminho que resultaria em paz na Ucrânia". "Acho que é importante reconhecer que este evento chocante lembrou que este é o momento para restaurar a paz e a segurança na Ucrânia", disse Obama.

"Agora é, penso eu, um momento sombrio apropriado para todos nós darmos um passo atrás e observarmos o que aconteceu. Violência e conflito levam inevitavelmente a consequências imprevisíveis", afirmou. Ele insistiu que Putin deve usar de sua influência junto aos separatistas pró-russos para frear suas ações. Segundo ele, o avião derrubado "é um chamado de atenção da Europa sobre a Rússia".

Conflito no Oriente Médio

Obama também informou ter conversado com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, para expressar sua preocupação com a crise na Faixa de Gaza depois do início da operação terrestre por parte do Estado hebreu.
O presidente americano disse que, apesar de Washington apoiar o direito de Israel a defender-se, "os Estados Unidos e nossos aliados e amigos estão profundamente preocupados com os riscos de uma maior escalada e a perda de mais vidas inocentes".

Leia mais notícias sobre queda do voo MH17

ONU pede investigação rigorosa

O Conselho de Segurança da ONU e familiares das vítimas que morreram na queda do voo MH17 pediram nesta sexta-feira a realização de uma investigação internacional independente e profunda sobre o avião malaio que foi derrubado por um míssil no Leste da Ucrânia, matando 298 passageiros.

Os familiares e amigos das vítimas holandesas do voo da Malaysia Airlines tentavam nesta sexta-feira assimilar a trágica perda e exigiam uma investigação exaustiva. O país amanheceu em estado de choque, com bandeiras a meio mastro como símbolo de luto, pela morte de ao menos 154 passageiros holandeses que estavam no voo acidentado MH17.

Bookmark and Share