Correio do Povo

Porto Alegre, 1 de Outubro de 2014


Porto Alegre
Agora
19ºC
Amanhã
13º 19º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

18/07/2014 15:59 - Atualizado em 18/07/2014 16:03

Israel mantém ofensiva terrestre e destrói túneis palestinos em Gaza

Operação por terra começou na quinta-feira

Tanques israelenses avançam sobre o território palestino<br /><b>Crédito: </b> Menahem Kahana / AFP / CP
Tanques israelenses avançam sobre o território palestino
Crédito: Menahem Kahana / AFP / CP
Tanques israelenses avançam sobre o território palestino
Crédito: Menahem Kahana / AFP / CP

Os soldados israelenses, apoiados por tanques e pela aviação, começaram a destruir nesta sexta-feira os túneis utilizados pelo Hamas em Gaza, no segundo dia da ofensiva terrestre do Estado hebreu.

A operação terrestre começou na quinta-feira à tarde, apesar dos apelos da comunidade internacional ao governo de Israel para que tentasse evitar vítimas civis. Até o momento, a infantaria atingiu "150 alvos" e destruiu 13 acessos às redes de túneis do Hamas.

O objetivo principal das tropas terrestres, que entraram por vários pontos na Faixa de Gaza - delimitada por Israel, Egito e pelo Mar Mediterrâneo - é destruir os túneis subterrâneos de contrabando construídos pelo Hamas, que controla o território. Por esses túneis, chegam aos militantes do movimento palestino mercadorias, dinheiro e armas.
A operação começou depois de uma breve trégua humanitária de cinco horas na quinta-feira.

Nesta sexta-feira, cinco palestinos morreram na Faixa de Gaza atingidos por disparos de tanques israelenses em incidentes separados, incluindo quatro crianças com idades entre dois e 13 anos, de acordo com os serviços de socorro.
Duas das vítimas eram irmãs, de quatro e sete anos, atingidas em um bombardeio em Shejaiyah, a leste da Cidade de Gaza, indicou o porta-voz.

O número de deslocados quase dobrou nas últimas 24 horas, chegando a 40 mil pessoas, segundo a agência da ONU nesta área de 362 km2, onde vivem 1,8 milhão de pessoas em meio à miséria, submetidas ao bloqueio israelense há anos. O Programa Alimentar Mundial espera poder distribuir comida a 85 mil pessoas nos próximos dias.

Pelo menos 33 palestinos morreram nas últimas horas, principalmente no sul do território, em Khan Yunes e em Rafah, e no norte, perto da fronteira com Israel.

Quase 70% dos bairros de Gaza estão sem energia elétrica e as principais ONGs israelenses de defesa dos direitos humanos exigiram "corredores humanitários" para retirar os feridos e para que "médicos possam cumprir suas missões sem colocar suas vidas em risco".

Reunião na ONU
O Conselho de Segurança da ONU deve se reunir em caráter de emergência a partir das 19h (16h de Brasília) para discutir a situação, enquanto o presidente americano, Barack Obama, disse temer "pela perda de muitas vidas inocentes".
Cerca de 280 palestinos morreram e mais de 2 mil ficaram feridos desde o início da ofensiva de Israel, há 11 dias, contra a Faixa de Gaza com o objetivo de impedir os disparos de foguetes a partir do território. Do lado israelense, um soldado e um civil morreram.

Bookmark and Share

Fonte: AFP






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.