Porto Alegre, sábado, 1 de Novembro de 2014

  • 24/07/2014
  • 10:41
  • Atualização: 11:02

Testemunhas da morte do publicitário Kunzler serão ouvidas hoje

Audiência está marcada para 15h no Fórum da Tristeza

Publicitário foi assassinado com um tiro em 24 de fevereiro  | Foto: Polícia Civil / Divulgação / CP

Publicitário foi assassinado com um tiro em 24 de fevereiro | Foto: Polícia Civil / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

Na tarde desta quinta-feira, a partir das 15h, 17 testemunhas do caso Kunzler serão ouvidas no Fórum Regional da Tristeza, em Porto Alegre. O diretor de Relações com o Mercado da agência Paim, Lairson José Kunzler, 68 anos morreu no dia 24 de fevereiro vítima de um disparo na cabeça Estão agendados depoimentos de dez testemunhas de acusação e mais sete testemunhas de defesa. Em seguida, os réus serão ouvidos.

Denúncia

O Ministério Público (MP) denunciou, no dia 16 de maio, à 1° Vara Criminal do Foro Regional da Tristeza, dois homens por crime de latrocínio e também por associação para o crime. Conforme a denúncia, assinada pelo promotor de Justiça Gabriel Fontana, a dupla, em conjunto com outras pessoas não identificadas, participou diretamente das coordenações de ataques e da obtenção de armas de fogo e veículos, utilizados em especial para crimes do tipo “saidinha de banco”, do qual Kunzler foi vítima.

Prisões

Imagens de câmeras de monitoramento foram fundamentais na investigação e levou à prisão, no dia 13 de março, de um suspeito da morte do empresário Lairson José Kunzler, na zona Sul de Porto Alegre. Ao analisar horas de gravação, a polícia identificou uma testemunha, que foi chave para desvendar o crime.

A polícia pediu a prisão de um outro envolvido na morte de publicitário no dia 28 de março, no entanto, por falta de provas e com um vídeo apresentado como álibi, a Justiça mandou soltar o suspeito no dia 29 de março. Ele era apenado do semiaberto. O Ministério Público solicitou que o inquérito seja devolvido à 6ª DP da Capital para prosseguir as investigações.

Crime

De acordo com a Brigada Militar, no dia do crime, o empresário estava chegando em um condomínio quando foi abordado por dois homens em uma moto. Investigações da Polícia Civil apontaram que o publicitário carregava um malote com cerca de R$ 50 mil e que os suspeitos do crime teriam informações privilegiadas sobre a rotina do sócio diretor da Paim Comunicações. Para a titular da 6ª Delegacia de Polícia da Capital, delegada Aurea Regina Hoeppel, apesar de jovem - 24 e 25 anos -, a dupla indiciada pelo crime tinha experiência neste tipo de ação, até pela forma como manuseou a arma.

* Com informações do repórter Cláudio Isaías

Bookmark and Share