Porto Alegre, terça-feira, 21 de Outubro de 2014

  • 24/07/2014
  • 16:17
  • Atualização: 16:23

Destroços de avião da Air Algérie são vistos em Mali

Aeronave desapareceu após deixar Burkina Faso com 116 pessoas

Aeronave desapareceu após deixar Burkina Fase com 116 pessoas | Foto: Farouk Batiche / AFP / CP

Aeronave desapareceu após deixar Burkina Fase com 116 pessoas | Foto: Farouk Batiche / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

O presidente do Mali, Ibrahim Boubacar Keita, afirmou nesta quinta em Bamaco que os destroços do avião da Air Algérie, desaparecido com 116 pessoas a bordo, foram vistos na região de Kidal, no extremo nordeste do país. "Foram vistos entre Aguelhoc e Kidal", perto da fronteira argelina, declarou durante uma reunião com representantes de partidos políticos, da sociedade civil e da imprensa. Ele não forneceu mais detalhes, mas disse que nehuma hipótese foi descartada em relação às causas do desaparecimento da aeronave. 

De acordo com o chefe do Estado-Maior da Presidência de Burkina Fasso, general Diendiéré Gilbert, uma testemunha disse ter visto a aeronave cair na região de Gossi, no norte do Mali, perto da fronteira com Burkina Faso.

Nenhuma hipótese pode ser descartada

O chefe da diplomacia francesa, Laurent Fabius, disse nesta quinta que nenhuma hipótese pode ser descartada no caso do avião da Air Algérie. "Não podemos, não devemos descartar hipótese alguma antes de termos todos os elementos", declarou à rede pública France 2. Em resposta a uma pergunta de um jornalista sobre um possível atentado, Fabius insistiu: "Não podemos descartar hipótese alguma". 

"A única coisa que sabermos com certeza é do alerta meteorológico", declarou o ministro. "O piloto disse: 'dada as condições meteorológicas muito ruins, peço para mudar de trajetória'. Não há outros registros após esse pedido. Desta forma, consideramos várias hipóteses (...) é uma estação muito complicada do ponto de vista meteorológico nesta região. Essa pode ser a origem da tragédia, mas ainda há outras hipóteses", explicou Fabius. 

O ministro indicou que 51 franceses estavam a bordo da aeronave. "Isto inclui 20 famílias, porque eles são irmãos, são em sua maioria amigos da África, turistas ou agentes humanitários"."Decidimos trazer todas as famílias no sábado para Paris", informou. Segundo um comunicado da Air Algérie, "os serviços de navegação aérea fizeram seu último contato com o voo AH 5017 no dia 24 de julho à 1 hora e 55 minutos GMT, 50 minutos após a decolagem".


Bookmark and Share