Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 25/07/2014
  • 10:47
  • Atualização: 10:58

União injeta mais R$ 2,7 milhões em obras do Mercado Público

Verba será destinada à empresa responsável por montar estruturas metálicas do telhado

União injeta mais R$ 2,7 milhões em obras do Mercado Público  | Foto: André Ávila / CP Memória

União injeta mais R$ 2,7 milhões em obras do Mercado Público | Foto: André Ávila / CP Memória

  • Comentários
  • Correio do Povo

As obras de restauração do Mercado Público de Porto Alegre receberam nesta sexta-feira a injeção de mais R$ 2,7 milhões para a conclusão dos trabalhos. A verba do governo federal será destinada à empresa Metasa, responsável recolocar a estrutura metálica do telhado do edifício. 

De acordo com informações da prefeitura, o dinheiro chegará por etapas e não fará tanta diferença na obra do telhado, que já está em estágio avançado. A liberação do recurso foi publicada nesta sexta no Diário Oficial da União.

“Apesar de ser uma obra complexa, estamos conseguindo avançar dentro dos prazos estabelecidos. A troca da cobertura do Mercado é parte fundamental desse processo, pois foi um dos pontos mais atingidos pelo fogo e, com o material metálico estamos dando muito mais segurança ao prédio”, disse o vice-prefeito Sebastião Melo ainda no começo de julho.

Etapas de restauração

Em 14 de julho, a empresa contratada para restaurar a estrutura metálica do Mercado instalou um guindaste na avenida Borges de Medeiros para começar a obra. A previsão da empreiteira é de retiradas das estruturas danificadas pelo fogo nos próximos dois meses e recuperação do telhado de metal em até quatro meses.

A terceira etapa, que será a de reforma dos sistemas elétrico, hidráulico e de refrigeração, é a mais atrasada segundo o arquiteto Luiz Merino Xavier. As empresas que realizaram a restauração na década de 1990 estão atualizando os projetos. “Essas três companhias têm know-how para atualizar os projetos dessas redes. Um orçamento estimado, até porque precisamos enviar previsão de custo ao Ministério da Cultura, é de que vai custar aproximadamente R$ 7 milhões”, destaca um dos responsáveis pelo grupo das obras do PAC Cidades Históricas na Capital.

Incêndio no Mercado Público

Na noite de 6 de julho de 2013 o Mercado Público ardia em chamas. Um incêndio na parte superior do prédio histórico mobilizou bombeiros de diversas guarnições para combater o fogo. O combate às chamas levou quase duas horas. O fogo consumiu parte do segundo andar do edifício de 144 anos. As investigações da Polícia chegaram a conclusão de que o incêndio foi provocado por uma fritadeira elétrica que ficou ligada na cozinha do restaurante Atlântico, loja 46, localizado no segundo pavimento.

Bookmark and Share