Porto Alegre, sábado, 1 de Novembro de 2014

  • 25/07/2014
  • 22:32
  • Atualização: 22:49

Ciclistas percorrem ruas de Porto Alegre para protestar por mais ciclovias

Passagem dos ciclistas gerou atrito com motoristas em alguns locais da Capital

  • Comentários
  • Nildo Júnior / Correio do Povo

A noite da última sexta-feira de cada mês está marcada na agenda da cidade de Porto Alegre como a Noite dos Ciclistas. Reunidos no Largo Zumbi dos Palmares, cerca de 200 pessoas em suas bicicletas percorrem algumas ruas da Capital por recreação e também como uma atividade de divulgação do esporte. Mas os principais motivos do grupo se reunir ainda são o do uso exagerado de carros particulares e a falta de ciclovias nos bairros.

O vereador Marcelo Sgarbosa critica a prefeitura por não construir mais ciclovias na cidade. “Este movimento (Massa Crítica) está aí há quatro anos e só existe vinte e poucos quilômetros de ciclovias. A cidade está congestionada e acelerada. Precisa-se uma série de medidas para desacelerar e destrancar a cidade”, afirmou.

O servidor público André Gomide, de 37 anos, é ciclista há quatro anos. Ele vendeu seu carro particular e passou a andar só de bicicleta. Com isso, perdeu mais de 30 quilos. “Eu levava muito tempo dentro do meu carro ou dentro de um ônibus para ir de casa ao trabalho e voltar. Agora gasto esse tempo em prol da minha saúde”, comentou.

Atritos no trânsito

Durante o trajeto percorrido pelo grupo nesta noite, alguns motoristas se mostraram ainda impacientes com os ciclistas. Na avenida Farrapos, um taxista queria avançar por entre as bicicletas, colocando em risco a integridade dos cicloativistas. Na Sarmento Leite, sob o viaduto Imperatriz Leopoldina, o passageiro de um Corsa chegou a descer do carro para discutir com o grupo que ia logo a sua frente. Por pouco não houve um conflito entre eles.

Bookmark and Share