Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

  • 28/07/2014
  • 16:25

Policiais civis são investigados por roubo de cigarros contrabandeados

Suspeitos do crime, os cinco agentes do Deic foram afastados há 20 dias

  • Comentários
  • Hygino Vasconcellos / Correio do Povo

A Corregedoria-geral da Polícia Civil (Cogepol) investiga a participação de cinco agentes em um roubo de 330 caixas de cigarros contrabandeadas, em 27 de maio. A carga, proveniente do Paraguai, estava em um propriedade rural no interior de Tapes, no Sul do Estado, e segundo as investigações foi transportada após o roubo para Viamão, na região metropolitana de Porto Alegre, sob escolta policial.

Conforme o titular da Cogepol, Paulo Rogério Grillo, os policiais chegaram até o sítio em Tapes após um informante avisar que uma carga contrabandeada tinha acabado de chegar ao local e estava “dormindo” -  quando aguarda para ser transportada, esperando passar as barreiras realizadas na região. Grillo acredita que os agentes não imaginavam que o contrabandista iria reclamar da ação policial no sítio, o que acabou ocorrendo. Na ação dos policias na propriedade rural duas pessoas foram rendidas.

Durante as investigações foram solicitadas imagens das câmeras da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) e ainda da Concepa (concessionária que administra a BR 290). Nas imagens é possível visualizar parte do deslocamento de um pequeno caminhão com um veículo Ranger com o símbolo do Deic à frente.

Na última sexta-feira, parte da carga foi localizada na residência do informante no bairro Santo Onofre, em Viamão. No local foram encontradas apenas seis caixas de cigarros – cada uma com 50 pacotes de cigarro, que contém 10 maços cada um. O delegado acredita que, provavelmente, o restante da carga foi vendida pelo grupo. Em depoimento os policiais admitiram que estiveram em Tapes, mas negaram que tivessem feito o transporte.

Os cinco agentes eram do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) e foram afastados há cerca de vinte dias por determinação do chefe de polícia. De acordo com o titular da Cogepol, o inquérito deve ser remetido à Justiça de Tapes no máximo até terça-feira. Os cinco policiais e o informante serão indiciados por roubo. O delegado observa que não há um mentor para o crime e todos os policiais são suspeitos de ter envolvimento.

Bookmark and Share