Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 05/08/2014
  • 11:55
  • Atualização: 11:59

Sauditas são decapitados por infanticídio e bruxaria

Esta é a 19º execução no país desde o início do ano

  • Comentários
  • AFP

Dois sauditas condenados à pena de morte, um por infanticídio e outro por bruxaria, foram decapitados nesta terça-feira, anunciou o ministério do Interior. Maqbul ben Madi al-Charari foi declarado culpado por ter espancado com um pedaço de pau seu filho Mohamed, de dois anos, explicou a nota oficial. "Também tinha o costume de bater no rosto do filho e queimar diferentes partes de seu corpo", acrescenta o ministério.

O outro saudita, Mohamed ben Bakr al-Alaui, foi condenado por prática de bruxaria. As execuções ocorreram na província de Jauf, norte da Arábia Saudita, e com elas sobe para 19 o número de executados na localidade desde o início do ano, segundo contagem da AFP.

No ano passado, 78 condenados à morte de diferentes nacionalidades foram executados na Arábia Saudita, segundo outro balanço da agência de notícias. Estupro, assassinato, apostasia, roubo e tráfico de drogas são delitos passíveis de pena capital neste país.

O Alto Comissariado para os Direitos Humanos da ONU denunciou em 2013 o importante aumento das condenações à morte no reino, e as organizações de direitos humanos pediram moratória nas execuções.

Bookmark and Share