Correio do Povo

Porto Alegre, 23 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
11ºC
Amanhã
15º 21º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

05/08/2014 20:39

General americano é morto em ataque no Afeganistão

Segundo o jornal "The Washington Post", a vítima é o general de divisão Harold J. Greene

O Pentágono confirmou nesta terça-feira que um general americano morreu em um ataque no Afeganistão. O Departamento da Defesa identificou o agressor, que vestia uniforme, como um soldado afegão. Ele foi morto
depois de abrir fogo.

"Posso (...) confirmar que, entre as vítimas, há um general americano morto", disse à imprensa o porta-voz do
Pentágono, contra-almirante John Kirby, acrescentando que não o identificaria.

O assessor destacou que esse foi o oficial americano de mais alta patente morto desde os ataques em 11 de
setembro de 2001, quando o tenente-general Timothy Joseph Maude morreu em um atentado cometido com um avião
comercial lançado contra o Pentágono.

Segundo o jornal "The Washington Post", a vítima é o general de divisão Harold J. Greene, que atuava nas
aquisições de sistemas no quartel-general do Exército nos Estados Unidos.

Desde a Guerra do Vietnã, nenhum general americano era morto em combate, apesar de militares de alto escalão
terem servido no Iraque e no Afeganistão.

Kirby acrescentou que o agressor acabou morto, mas disse não ter mais detalhes sobre o episódio. "Acreditamos
que o atacante era um soldado afegão", afirmou.

Um oficial americano que pediu para não ser identificado contou à AFP que cerca de 15 pessoas ficaram
feridas, sendo oito americanos. Não se sabe a nacionalidade das demais vítimas, mas o oficial declarou que há
afegãos. A Alemanha anunciou que um de seus generais foi ferido.

Kirby descreveu o ataque como um incidente isolado e reconheceu o trabalho das tropas afegãs na segurança
durante as eleições nacionais.

"É impossível eliminar - eliminar por completo - essa ameaça, eu acho, particularmente em um lugar como o
Afeganistão, mas você pode trabalhar duro para atenuá-la", afirmou, referindo-se a esses ataques.

Bookmark and Share


Fonte: AFP






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.