Porto Alegre, quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

  • 09/08/2014
  • 10:46
  • Atualização: 10:54

Polícia tenta prisão preventiva de detetive suspeito de balear pai de santo

Religioso foi atingido por tiros na zona Sul de Porto Alegre durante mês de julho

  • Comentários
  • Lucas Rivas / Rádio Guaíba

A Polícia Civil tenta obter a prisão preventiva de um detetive investigado por tentar matar um pai de santo, em julho, na zona Sul de Porto Alegre. A investigação apurou que Roberto Pinto Sokolowski, de 56 anos, teria cometido o crime porque não ficou satisfeito com os serviços prestados pelo religioso. O delegado Rodrigo Pohlmann explica que a intenção era alavancar a carreira profissional.

Durante esta semana, na residência do detetive, em Gravataí, a Policia cumpriu um mandado de busca que também terminou com a apreensão de uma pistola .380. O delegado estima que essa tenha sido a arma do crime. Baleado durante a consulta, o pai-de-santo, identificado como Luís Carlos Kalichinolli, de 57 anos, permanece internado, em estado de coma, no Hospital de Pronto Socorro (HPS).

Após o crime, a investigação pediu a prisão preventiva do detetive, negada pela Justiça, que só autorizou o pedido de busca e apreensão. Sokolowski pagou fiança de R$ 5 mil e foi liberado. Com isso, ele permanece em liberdade. Com o inquérito prestes a ser concluído, o delegado vai reiterar o pedido de prisão preventiva.

Em 2007, o detetive já respondeu a processo, por ter atirado contra dois policiais. Os agentes faziam diligências em um inquérito sobre a participação de Sokolowski em um homicídio. Na época, a Polícia encontrou sete armas com Sokolowski, que terminou inocentado durante o processo judicial.

Bookmark and Share