Porto Alegre, sábado, 1 de Novembro de 2014

  • 11/08/2014
  • 17:29
  • Atualização: 18:10

Sobe para sete total de indiciados por explosão no Ginásio Tesourinha em Porto Alegre

MP não denunciou jovem apontado como responsável pelo disparo do rojão

  • Comentários
  • Lucas Rivas/Rádio Guaíba

A Polícia Civil indiciou mais um casal de jovens pelo crime de dano ao patrimônio público ocorrido no Ginásio Tesourinha, em 10 de março, em Porto Alegre. Os arquivos anexos ao inquérito serão entregues até esta terça no Fórum da Capital. Até lá, os nomes continuarão em sigilo.

Audiência pública é cancelada após tumulto
“Não concordamos com ações de alguns grupos”, diz Bloco de Luta
Polícia Civil identifica envolvidos em quebra-quebra do Ginásio Tesourinha

Na semana passada, o Ministério Público havia denunciado apenas quatro dos cinco indiciados pelo delegado Paulo Cesar Jardim. A decisão do MP de arquivar o caso envolvendo um dos indiciados, segundo o delegado o principal responsável pelo lançamento de um rojão no local, casou surpresa.

O policial frisou que imagens flagraram o manifestante acionando o explosivo. Jardim lembrou, ainda, que ele confessou o crime. O MP informou que a promotora Ana Lúcia Cardoso vai analisar novamente os autos do processo para justificar o arquivamento do nome dele no inquérito. Além disso, o policial lamentou que o MP tenha desconsiderado o indiciamento pelo crime de formação de quadrilha.

A Justiça ainda definiu se transforma em réus os quatro denunciados. A pena, em caso de condenação, pode variar de seis meses a três anos.

Conforme o titular da 1ª DP, os prejuízos no Tesourinha chegaram a R$ 60 mil, mas o maior perigo era o risco de tragédia, já que a audiência reunia 600 pessoas no local.

Bookmark and Share