Porto Alegre, terça-feira, 23 de Dezembro de 2014

  • 11/08/2014
  • 21:47
  • Atualização: 21:52

Novo presidente de Israel se desculpa a Dilma por declarações de diplomata

Reuven Rivlin lamentou definição de "anão diplomático" dada por Yiigal Palmor

  • Comentários
  • Agência Brasil

O novo Chefe de Estado de Israel, Reuven Rivlin, telefonou nesta segunda-feira à presidente Dilma Rousseff e se desculpou pelas declarações do porta-voz do Ministérios das Relações Exteriores do país, Yigal Palmor. Os dois presidentes conversaram sobre os recentes conflitos na Faixa de Gaza o que levou o assunto à polêmica declaração de Palmor, classificando o Brasil de “anão diplomático”.

De acordo com nota à imprensa divulgada nesta noite pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência, o novo presidente de Israel disse que as expressões utilizadas pelo funcionário não “correspondem aos sentimentos da população de seu país em relação ao Brasil”. As declarações do porta-voz foram dadas em julho, quando o Itamaraty condenou o uso desproporcional da força, por Israel, no conflito contra o Hamas.

Dilma reforçou a posição “histórica” do país, em foros internacionais, de defender a coexistência entre Israel e Palestina “como dois Estados soberanos, viáveis economicamente e, sobretudo, seguros”. Segundo a nota, a presidente demonstrou igualdade no tratamento dado pela diplomacia brasileira ao caso: o de condenar ataques a Israel, mas também o uso “desproporcional da força em Gaza, que levou à morte centenas de civis, especialmente mulheres e crianças”.

O novo presidente de Israel disse que seu país estava se defendendo dos ataques com mísseis que o território vinha sofrendo. Dilma, por sua vez, manifestou esperanças de que o cessar fogo e as atuais negociações possam contribuir para uma solução definitiva de paz na região.

Bookmark and Share