Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 12/08/2014
  • 22:36
  • Atualização: 22:41

Polícia pede internação de jovens suspeitos de incêndio de escola na Lomba do Pinheiro

Aulas seguem suspensas e só devem ser retomadas na próxima segunda-feira

  • Comentários
  • Lucas Rivas/Rádio Guaíba

O juiz da 2ª Vara da Infância e da Juventude de Porto Alegre, Felipe Keunecke de Oliveira, deve se manifestar nos próximos dias sobre o pedido de internação, feito pela Polícia, contra os cinco adolescentes que teriam incendiado e depredado por duas ocasiões, a Escola Estadual de Ensino Fundamental Onofre Pires, na Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre. O magistrado pretende ter acesso ao depoimento dos dois últimos jovens, apreendidos nesta terça-feira, além de laudos sobre o incêndio do colégio para se posicionar. Os três ataques ocorreram em um intervalo de 16 dias. As aulas seguem suspensas e só devem ser retomadas na próxima segunda-feira.

Escola incendiada na Lomba do Pinheiro é liberada para retomar o ano letivo
Incêndio atinge escola na zona Leste de Porto Alegre

O pedido de internação dos cinco na Fundação de Atendimento Socioeducativo (Fase) partiu do Departamento Estadual da Criança e do Adolescente (Deca) após a Polícia Civil ter identificado os jovens como os envolvidos dos crimes. Em depoimento, os cinco teriam confirmado a participação. Além disso, admitiram os atos alegando que a única intenção era depredar a escola. A investigação ainda examina a suposta participação da irmã de um dos meninos em um dos crimes de depredação.

Nesta terça-feira, a investigação ouviu os dois últimos dos cinco adolescentes. Enquanto a Justiça não se manifesta sobre a internação, eles permanecem em liberdade. Segundo a Polícia Civil, os adolescentes não são estudantes do local e vivem em uma área invadida, do outro lado da Estrada João de Oliveira Remião.

Bookmark and Share