Porto Alegre, sábado, 1 de Novembro de 2014

  • 13/08/2014
  • 15:24
  • Atualização: 15:31

“É uma perda humana e política brutal para o país”, afirma Tarso

Governador decretou luto oficial e cancelou agenda oficial da campanha

Governador decretou luto oficial e cancelou agenda oficial da campanha | Foto: Caroline Bicocchi / Palácio Piratini / CP

Governador decretou luto oficial e cancelou agenda oficial da campanha | Foto: Caroline Bicocchi / Palácio Piratini / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo e Rádio Guaíba

O governador do Estado e candidato à reeleição, Tarso Genro, fez um breve pronunciamento na tarde desta quarta-feira no Palácio Piratini sobre a morte do candidato à Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, em um acidente aéreo em Santos, no litoral paulista. Genro lamentou a perda “brutal” para o país, para a política e para a democracia.

“Recebi a notícia em um evento de campanha (em Charqueadas) e imediatamente suspendemos a programação. É uma perda humana e política brutal para o país, para a democracia, para a família e para todos os brasileiros que respeitaram e vão respeitar a memória deste grande representante político da nossa história democrática”, afirmou o governador.

O governo do Estado decretou luto oficial de três dias e as atividades da campanha do candidato foram suspensas por dois dias. Tarso não revelou se irá ao enterro do político, se limitou a dizer que estará “no lugar mais apropriado para estar em um momento como esse”.

“Isso é um acontecimento dramático. Em qualquer época da história e em qualquer momento, seja político, ou não. Tivemos uma perda trágica há muito anos, o Fernando Ferraria (político gaúcho que morreu em 1968 na queda de uma aeronave em Três Cachoeiras, no Litoral Norte). Apenas para lembrar um (caso). É uma tragédia que se abate e temos que nos manter solidários e, sobretudo, com muita cautela para evitar que qualquer coisa que a gente diga ou faça não fira aqueles que foram atingidos diretamente por esse evento trágico, que é a sua família”, declarou Tarso Genro.

O governador se negou a responder sobre o futuro da disputa eleitoral para a presidência do país. “Não vou fazer considerações, pois não acho que seja apropriado sobre decorrências do processo político. Não é oportuno. Não é correto como tributo de respeito a dor que a família está passando neste momento”, afirmou o candidato.

Na Assembleia Legislativa, as atividades foram suspensas e o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Conselhão) também suspendeu debate sobre estratégias em saúde, previsto para a tarde desta quarta-feira.

Bookmark and Share