Correio do Povo

Porto Alegre, 15 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
18ºC
Amanhã
10º 22º


Faça sua Busca


Notícias > Política

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

14/08/2014 07:12 - Atualizado em 14/08/2014 10:03

Defesa Civil interdita dez imóveis após acidente que matou Eduardo Campos

Cinquenta pessoas ficaram desalojadas por causa da queda da aeronave

Cinquenta pessoas ficaram desalojadas por causa da queda da aeronave <br /><b>Crédito: </b> Ricardo Nogueira / AFP / CP
Cinquenta pessoas ficaram desalojadas por causa da queda da aeronave
Crédito: Ricardo Nogueira / AFP / CP
Cinquenta pessoas ficaram desalojadas por causa da queda da aeronave
Crédito: Ricardo Nogueira / AFP / CP

O acidente aéreo em que morreram o candidato à Presidência Eduardo Campos (PSB) e mais seis pessoas resultou na interdição de dez imóveis, segundo a Defesa Civil de Santos. A tragédia também fez com que 50 pessoas ficassem desalojadas, indo para a casa de amigos e parentes.

• Encontrada caixa-preta do avião em que estava Eduardo Campos

• "Brasil perde uma grande liderança com um futuro promissor", diz Dilma
• "Guardarei a imagem de Eduardo cheio de alegrias e sonhos", diz Marina Silva

Segundo informações do coordenador municipal da Defesa Civil de Santos, Daniel Onias Nossa, dos imóveis interditados, três casas tiveram muitos danos, sendo que uma delas foi danificada pelo próprio impacto do avião e as outras duas pelo incêndio que se seguiu. Três imóveis comerciais foram bloqueados por precaução.

“Só após os trabalhos (que incluem a perícia e a procura dos corpos) terem se encerrrado é que serão liberados, um a um, os imóveis para reocupação”, disse Daniel Nossa. A previsão é que isso comece a ocorrer a partir de sexta.

O capitão Marcos Palumbo, do Corpo de Bombeiros, explicou que, neste momento, os bombeiros estão trabalhando em uma laje que está em cima do local onde a aeronave bateu. “Vamos quebrar esta laje, colocar retroescavadeiras, retirar este entulho e cavar até encontrar a fuselagem do avião”, diz.

O morador Rodrigo Mariano de Cristo, que reside a cerca de 100 metros do local do acidente, conta que estava em seu apartamento com a mãe, pela manhã, por volta das 10h. “Não vimos o acidente. A gente estava em casa e foi um grande estrondo. Tremeu tudo. O prédio parecia que ia desmoronar. Foi um grande tumulto, todo mundo gritando. Desci porque estava com medo, porque pensei que o prédio ia cair”, disse.


Confira a galeria de fotos:




Bookmark and Share  


Fonte: Agência Brasil






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.