Porto Alegre, sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

  • 15/08/2014
  • 19:47
  • Atualização: 19:58

Marina autoriza consulta à coligação sobre substituir Eduardo Campos

Nome de líder da Rede Sustentabilidade estaria virando consenso na chapa

Nome de líder da Rede Sustentabilidade estaria virando consenso na chapa | Foto: Sérgio Lima/Folhapress/CP Memória

Nome de líder da Rede Sustentabilidade estaria virando consenso na chapa | Foto: Sérgio Lima/Folhapress/CP Memória

  • Comentários
  • Agência Brasil

A ex-ministra do Meio Ambiente e candidata à Vice-Presidência da República Marina Silva aceitou ser cabeça de chapa da coligação Unidos para o Brasil, em substituição ao ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), que morreu quarta-feira em acidente aéreo no litoral de São Paulo. Nesta sexta-feira, o presidente do PSB, Roberto Amaral, foi à casa de Marina para saber se ela autorizava uma consulta sobre assumir o papel na corrida presidencial.

Segundo o líder do PSB na Câmara dos Deputados, Beto Albuquerque (RS), a ex-ministra aceitou que seja feita a consulta. Ela encabeçaria coligação formada por PSB, PPS, PPL, PRP, PHS, além da Rede Sustentabilidade, que ainda não tem registro.

Beto, que está em São Paulo acompanhando os trabalhos de identificação das vítimas do acidente aéreo de quarta-feira, informou que foi à casa de Marina Silva para lhe dar um abraço e conversar sobre a necessidade de uma releitura da campanha de Campos e de ela adotar também o discurso que vinha sendo feito pelo ex-governador. Para Albuquerque, não haverá dificuldade para que os partidos da coligação aceitem a ex-ministra como cabeça de chapa.

O presidente do PPS, deputado Roberto Freire (SP), disse à Agência Brasil que seu partido foi o primeiro da coligação a aconselhar que Marina fosse a substituta de Campos. “Marina Silva vai unir os partidos da coligação", afirmou o parlamentar. Para ele, está havendo consenso em torno do nome. Quanto ao companheiro de chapa de Marina, caso seja confirmada sua indicação, Freire acredita que “o PSB reivindique o cargo”.

A decisão final sobre quem substituirá Eduardo Campos na disputa deverá ser tomada quarta-feira, em Brasília, durante reunião do Diretório Nacional do PSB com deputados e senadores do partido e líderes da legenda. A coligação Unidos para o Brasil tem até o dia 23 deste mês para informar à Justiça Eleitoral o nome de seu novo candidato à Presidência da República.

Bookmark and Share