Porto Alegre, domingo, 26 de Outubro de 2014

  • 16/08/2014
  • 19:08
  • Atualização: 11:07

Presidente do PSB descarta antecipar decisão sobre chapa

Roberto Amaral disse que não há outra opção além da ex-ministra Marina Silva

Cúpula do PSB visitou casa de Eduardo Campos | Foto: Fernando Frazão / Agência Brasil / CP

Cúpula do PSB visitou casa de Eduardo Campos | Foto: Fernando Frazão / Agência Brasil / CP

  • Comentários
  • Agência Brasil

A discussão sobre o candidato do partido à Presidência da República no lugar de Eduardo Campos, vítima de um acidente aéreo na última quarta-feira, será tomada apenas na próxima quarta-feira (20), em reunião da Executiva Nacional, em Brasília. O presidente nacional da sigla, Roberto Amaral, negou qualquer possibilidade de a decisão ocorrer antes desse prazo. Sobre o vice na chapa, Amaral não descartou o nome de Renata Campos, viúva do ex-governador de Pernambuco.

• Leia mais notícias sobre a morte de Eduardo Campos

“É a Executiva Nacional que vai decidir o nosso candidato à Presidência e à vice. Nos reuniremos na quarta-feira, às 15h, na sede do partido, em Brasília. Antes disso, qualquer coisa é especulação. Não tomaremos nenhuma decisão antes de enterrar o Eduardo”, disse Amaral ao deixar a casa da família de Campos, no Recife.

Ele demonstrou irritação com a insistência sobre uma definição do partido. “Se vocês não sabem, o Eduardo morreu, sofreu um acidente. Nós éramos amigos dele, ele era presidente do partido, nosso líder. Estamos feridos, doídos. Qual conversa podemos ter nesse momento?”, indagou.

O presidente do PSB disse que o papel dele até a próxima quarta-feira é “construir a unidade do partido”. Até o momento, destacou, não há outra opção para a cabeça de chapa, além da ex-ministra Marina Silva. Perguntado sobre as especulações acerca da indicação de Renata Campos para compor a chapa, Amaral não descartou a possibilidade e ressaltou que o vice será do PSB, que “tenha experiência administrativa”.

Dentro do partido, o nome do deputado federal Beto Albuquerque (RS) surge com grande força para ocupar a vaga de vice, apesar do apelo em torno do nome da viúva. “A Renata pode ser candidata à vice, à Presidência, ela é um quadro excepcional. Vocês não fiquem vendo a Renata como a esposa de Eduardo. Ela é um quadro político da maior importância e uma fortaleza extraordinária. Se ela autorizar (o nome será considerado)”, frisou Amaral.

O presidente do PSB informou ainda que o primeiro programa eleitoral do partido na TV e no rádio será uma homenagem a Eduardo Campos.





Bookmark and Share