Porto Alegre, terça-feira, 21 de Outubro de 2014

  • 18/08/2014
  • 19:33
  • Atualização: 19:35

Justiça do Rio decreta prisão preventiva de policiais acusados de estupro

Auditoria Militar do Tribunal de Justiça do Rio marcou interrogatório para quinta-feira

  • Comentários
  • Agência Brasil

A Justiça do Rio de Janeiro acatou nesta segunda-feira a denúncia apresentada pelo Ministério Público (MP) contra três policiais militares acusados de cometer estupro na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Jacarezinho, na zona norte da cidade.

A Auditoria Militar do Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ) marcou para quinta-feira o interrogatório dos policiais. As três vítimas, uma delas menor de idade, são moradoras da comunidade e dizem que foram estupradas no último dia 5.

De acordo com decisão da juíza Ana Paula Monte Figueiredo Barros, há indícios de fatos que “constituem crimes militares de natureza gravíssima”. No texto, a juíza dá como “certo que a materialidade delitiva e a autoria encontram-se indiciariamente demonstradas, especialmente pelas declarações prestadas pelas supostas vítimas, que narram com riqueza de detalhes a empreitada criminosa e o modus operandi dos policiais militares”.

Os denunciados tiveram a prisão preventiva decretada, já que pela descrição das vítimas os policiais são perigosos, pois, “em tese, aproveitando-se do poder ostensivo de suas fardas, subjugando as supostas vítimas, praticaram fatos absolutamente incompatíveis com sua função, pondo em risco a ordem pública, gerando insegurança àqueles que transitam pelo local”, diz a juíza.

Bookmark and Share