Porto Alegre, terça-feira, 23 de Dezembro de 2014

  • 19/08/2014
  • 09:22

Partidos lembram Campos na estreia do horário político

PSB citou o nome de Marina Silva apenas uma vez no programa de rádio

  • Comentários
  • AE

Os três principais partidos que disputam a Presidência usaram parte do primeiro programa do horário eleitoral no rádio, na manhã desta terça para homenagear o ex-governador Eduardo Campos, morto em acidente aéreo na semana passada. O PSB, legenda do pernambucano, apresentou depoimentos de Campos e o nome de Marina Silva, que deve assumir a chapa, foi citado apenas uma vez.

O programa da coligação Unidos pelo Brasil, liderada pelo PSB, ressaltou o sentimento de mudança deflagrado pelas manifestações de junho do ano passado. A coligação conta com 2 min03s, o menor tempo na comparação com a candidata do PT, Dilma Rousseff (11min24s), e com o candidato do PSDB, Aécio Neves (4min35s).

O PT deixou a parte final do programa para homenagear Campos e foi apresentada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Pedi a Dilma para encerrar o programa dizendo palavras em homenagem a Eduardo Campos", disse o petista. Amigo do ex-governador, Lula afirmou ter relação de "afeto de pai e filho" com Campos, que foi ministro no governo Lula. O ex-presidente lembrou ainda de uma das últimas frases do ex-governador de Pernambuco e disse que não desistirá do Brasil. "Sua luta sempre foi e vai continuar sendo nossa luta", afirmou o ex-presidente.

Já no início do programa, o PSDB falou sobre Campos. Aécio procurou destacar o vínculo que tinha com o ex-governador e contou ter conhecido Campos durante o movimento das Diretas Já, quando cada um acompanhava seu respectivo avô, Tancredo Neves e Miguel Arraes. O programa do tucano afirmou ainda que os dois tinham sonhos parecidos para o Brasil.

O PSDB usou o restante do programa para mostrar uma entrevista com Aécio, que usava as respostas para fazer críticas ao governo federal. Ele afirmou que "hoje o Brasil está pior que há quatro anos". "O problema não é o Brasil, mas a forma como ele é governado e quando o governo vira problema, tudo vira problema", afirmou.

Última dos três presidenciáveis a aparecer - a ordem é definida por sorteio -, Dilma foi apresentada pela coligação como uma candidata experiente. O programa ressaltou a atuação da presidente Dilma durante a crise internacional e afirmou que ela, a cada dia, ganha experiência. "O Brasil sabe que Dilma está cada vez mais experiente", disse o locutor.

Dilma ressaltou as oportunidades proporcionadas pelo País às mulheres ao responder pergunta de uma criança sobre ser presidente. "Não é fácil ser presidente, são muitos compromissos e responsabilidades. Mas é bom demais saber que pode mudar a história do País e a vida de muita gente", disse.

A presidente fez sua primeira participação no programa com a promessa de realizar uma campanha propositiva. "Quero renovar o compromisso de fazer uma campanha de alto nível", afirmou Dilma, na sua primeira fala. De acordo com ela, a campanha faz parte de uma "luta incessante" que o PT está fazendo para transformar o Brasil em um país mais justo para seus cidadãos.

Bookmark and Share