Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 19/08/2014
  • 19:24
  • Atualização: 20:35

Jihadistas sírios mostram suposta execução de jornalista americano

A Casa Branca assinalou que seus serviços de inteligência tentam confirmar a autenticidade do vídeo

  • Comentários
  • AFP

O Estado Islâmico (EI) divulgou nesta terça-feira um vídeo que mostraria a morte do jornalista americano James Foley, em represália pelos ataques aéreos dos Estados Unidos contra forças jihadistas no norte do Iraque.

No vídeo publicado na Internet, o EI mostra um homem de capuz vestido de negro que parece cortar a garganta
do jornalista.

Foley foi sequestrado em novembro passado na Síria.

O carrasco, que fala em inglês britânico, realiza a execução no deserto, mas não é possível determinar se no
Iraque ou na Síria.

A Casa Branca se declarou "horrorizada" pela suposta decapitação de Foley, e assinalou que seus serviços de
inteligência tentam confirmar a autenticidade do vídeo.

"Vimos um vídeo que parece mostrar a morte do cidadão americano James Foley pelo EI. Se é autêntico, estamos
horrorizados pela morte brutal de um jornalista americano inocente", assinalou a porta-voz do Conselho de
Segurança Nacional Caitlin Hayden.

"Encontrem James Foley" - a campanha da família do jornalista freelancer de 40 anos - publicou uma mensagem
na Internet pedindo tempo para "encontrar respostas".

Foley era um experiente correspondente que cobriu a guerra na Líbia antes de se dirigir à Síria para cobrir a
revolta contra Bashar al-Assad para Global Post, AFP e outros veículos.

Segundo testemunhas, Foley foi capturado no dia 22 de novembro de 2012 na província de Idlib, no norte do
país.

No vídeo de cinco minutos, divulgado na Internet por fontes do Estado Islâmico, o grupo declara que Foley foi
executado devido à decisão do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, de ordenar ataques aéreos contra
posições do grupo jihadista no norte do Iraque.

Bookmark and Share


TAGS » Síria, Mundo, EUA, Jihadistas