Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

  • 20/08/2014
  • 14:27
  • Atualização: 14:34

CNI aponta queda na produção industrial e no emprego em julho

Sondagem industrial foi feita entre os dias 1º e 12 de agosto, com 2.191 empresas

  • Comentários
  • Agência Brasil

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou nesta quarta-feira um estudo mostrando que, em julho, o setor registrou “baixo nível de atividade”, estoques acima do planejado, e que a utilização da capacidade instalada da indústria estava, na época, em 70%. De acordo com a Sondagem Industrial, o nível de produção da indústria registrou 48,8 pontos em julho. Já o indicador de número de empregados ficou em 45 pontos.

Segundo a CNI, os resultados mostram que a indústria registra queda na produção e no emprego, estoques indesejados e elevada ociosidade. No entanto, a pesquisa acrescenta que as grandes empresas registraram crescimento da produção, com um indicador de evolução da produção superando os 50 pontos - 51,5 pontos em julho. Já nas pequenas empresas, o indicador ficou em 45,6 pontos; e, nas médias, em 46,6 pontos.

Os indicadores da pesquisa variam de zero a cem. A marca de 50 pontos indica que o setor opera de acordo com o previsto. Valores acima de 50 indicam evolução positiva, estoque acima do planejado, utilização da capacidade instalada acima do usual ou expectativa positiva. Quando abaixo dessa pontuação, indicam resultados abaixo das expectativas.

De acordo com a sondagem, o indicador de estoque efetivo em relação ao planejado alcançou 51,5 pontos em julho, nível pouco inferior aos 52,1 pontos registrados em junho. Isso revela uma “redução do excesso de estoques indesejados”, diz a pesquisa. O nível de utilização da capacidade instalada subiu de 69% em junho para 70% em julho.

Os empresários preveem um cenário de redução do emprego e das exportações, informa a CNI. Em agosto, o indicador de expectativas para os próximos seis meses sobre o número de empregados ficou em 48,5 pontos. Já o de quantidade exportada ficou em 48,8 pontos.

Ainda segundo a pesquisa, as expectativas seguem “pouco otimistas” com relação à demanda e compras de matérias-primas. O indicador de expectativa para os próximos seis meses sobre a demanda alcançou 54,9 pontos e o de compras de matérias-primas, 52,1 pontos.

A sondagem industrial foi feita entre os dias 1º e 12 de agosto, com 2.191 empresas. Dessas, 863 são pequenas, 805 são médias de 523, de grande porte.

Bookmark and Share