Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 25/08/2014
  • 09:50
  • Atualização: 10:04

Audiência decidirá se réus do Caso Bernardo vão a júri popular

Sessão ocorrerá nesta terça-feira em Três Passos

  • Comentários
  • Correio do Povo e Rádio Guaíba

Audiência nesta terça-feira decidirá se os réus pela morte do menino Bernardo Boldrini irão a júri popular. A sessão, que começará às 9h15min na comarca de Três Passos, será presidida pelo juiz Marcos Luis Agostini. 

Leia mais sobre o caso Bernardo

Leandro Boldrini, Graciele Ugulini e os irmãos Evandro e Edelvânia Wirganovickz foram indiciados pelo Ministério Público por homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver e falsidade ideológica. Os quatro estão presos.

Relembre o caso:

Bernardo, de 11 anos, desapareceu em 4 de abril, em Três Passos, e teve o corpo encontrado na noite do dia 14, em Frederico Westphalen, dentro de um saco plástico e enterrado às margens de um rio. Edelvânia Wirganovicz, amiga da madrasta Graciele Ugulini, admitiu o crime e apontou o local onde a criança foi enterrada.

O pai do menino, Leandro Boldrini, a madrasta, Graciele Ugulini, e os irmãos Edelvânia e Evandro Wirganovicz foram denunciados pelo Ministério Público por homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver e falsidade ideológica. O juiz de Três Passos transformou os quatro em réus, em 16 de maio.

A polícia sustenta a tese de que Graciele e Edelvânia executaram o homicídio usando doses do medicamento Midazolan – a madrasta porque entendia que o menino era um "estorvo" para o relacionamento entre ela e Leandro Boldrini, e Edelvânia em troca de dinheiro, para comprar um apartamento. Ainda segundo a polícia, Boldrini também teve participação na morte fornecendo o medicamento controlado em uma receita assinada por ele, na cor azul. Já Evandro se tornou o quarto réu do caso, pela suspeita de ter ajudado a fazer a cova onde o corpo do menino foi enterrado.

Bookmark and Share