Correio do Povo

Porto Alegre, 1 de Outubro de 2014


Porto Alegre
Agora
19ºC
Amanhã
13º 20º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

25/08/2014 12:08 - Atualizado em 25/08/2014 12:18

Negociação tenta pôr fim à rebelião em presídio de Cascavel

Pelo menos quatro presos morreram após 30 horas de revolta

Negociadores do Comando de Operações Especiais da Polícia Militar (PM) do Paraná retomaram, na manhã desta segunda-feira, as negociações para tentar controlar uma rebelião na Penitenciária Estadual de Cascavel, no oeste do estado. Segundo a assessoria da secretaria estadual de Justiça, quatro presos foram mortos desde o início do motim, na manhã desse domingo. Dois agentes penitenciários continuam como reféns.

De acordo com a Secretaria de Justiça, 145 presos que corriam risco de morrer já foram transferidos para outros estabelecimentos prisionais do estado. Um levantamento preciso dos estragos na unidade só será feito após os agentes serem libertados e a rebelião encerrada, mas a secretaria estadual confirma que boa parte da penitenciária de Cascavel foi danificada, pois os presos quebraram telhas, queimaram colchões e danificaram celas.

Imagens veiculadas por vários órgãos de imprensa mostram detentos exibindo faixas e cartazes com o nome de uma organização criminosa presente em várias regiões do país. A assessoria da Secretaria de Justiça informou que não poderia confirmar se há lideranças da facção presas na unidade ou entre os presos já transferidos.

Com capacidade para 1.116 presos, a penitenciária de Cascavel mantinha 1.038 detentos no momento em que a rebelião foi deflagrada.




Bookmark and Share


Fonte: Correio do Povo





» Tags:Geral

O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.